Posts arquivados em Tag: Leitura Concluída.

05 fev, 2019

[Resenha] Mitologia Nórdica – Neil Gaiman @intrínseca

“Prepare-se para uma jornada que o levará da origem do universo até o fim do mundo”
 
Minha primeira experiência com Neil Gaiman não poderia ter sido mais significativa, uma leitura leve, descontraída, sobre um conteúdo curioso e diferente de tudo que ja tinha lido até o momento. Mitologia é algo que desconhecia profundamente, me lembrava vagamente do termo apenas isso, e neste livro magnifico me surpreendi e me apaixonei pela coisa toda logo de inicio. Espero que apreciem a resenha assim como eu apreciei cada pedacinho dessa leitura.

“Antes do princípio não havia nada – nem terra, nem paraíso, nem estrelas, nem céu – existia apenas o mundo feito de névoa, sem forma nem contorno, e o mundo feio de fogo, eternamente em chamas.” Pág 27.

 
Sinopse: Neil Gaiman tem sido inspirado pela mitologia antiga na criação dos reinos fantásticos de sua ficção. Agora ele volta sua atenção para a fonte, apresentando uma versão bravura das grandes histórias do norte. Na mitologia nórdica, Gaiman permanece fiel aos mitos ao prever o maior panteão dos deuses nórdicos: Odin, o mais alto dos altos, sábios, ousados ​​e astutos; Thor, filho de Odin, incrivelmente forte, mas não o mais sábio dos deuses; E Loki-filho de um irmão de sangue gigante para Odin e um malandro e insuperável manipulador. Gaiman modela essas histórias primitivas em um arco romântico que começa com a gênese dos nove mundos lendários e mergulha nas façanhas de deidades, anões e gigantes. Uma vez, quando o martelo de Thor é roubado, Thor deve disfarçar-se como uma mulher – difícil com sua barba e enorme apetite – para roubá-lo de volta. Mais pungente é o conto em que o sangue de Kvasir – o mais sagaz dos deuses – se transforma em um hidromel que infunde bebedores com poesia. O trabalho culmina em Ragnarok, o crepúsculo dos deuses e o renascimento de um novo tempo e de pessoas. Através da prosa hábil e espirituosa de Gaiman surgem esses deuses com suas naturezas ferozmente competitivas, sua susceptibilidade a ser enganados e enganar os outros e sua tendência a deixar a paixão inflamar suas ações, fazendo com que esses mitos há muito tempo respirem uma vida pungente novamente. Skoob
Ao iniciarmos a leitura temos uma breve explicação do autor sobre o assunto de seu livro, ele nos fornece algumas características específicas de seu trabalho, fala um pouco com o leitor sobre os motivos que o levaram a escrever sobre mitologia, e nos mostra alguns detalhes muito importantes e interessantes sobre os personagens que irá compor os contos. Foi uma introdução que no meu caso se tornou fundamental para o melhor entendimento do que eu iria ler.
Neil Gaiman fala nesta introdução sobre três personagens que ao longo da leitura se tornaram os mais citados e ao meu ver os mais importantes, Thor, Loki e Odin, são estes três que passamos a acompanhar junto de cenários e situações das mais inusitadas possíveis. O autor mescla acontecimentos cômicos e tensos ao mesmo tempo e aos poucos conhecemos a história de cada deus, seus defeitos e qualidades são visíveis para o leitor.

“Enquanto recontava esses mitos, tentei me imaginar muito tempo atrás, nas terras onde essas histórias foram contadas pela primeira vez, durante as longas noites de inverno, quem sabe sob o brilho da aurora, ou então sentado ao ar livre durante a madrugada, ainda acordado sob a luz interminável no auge do verão cercado de pessoas que queria saber o que Thor fez, o que era o arco-íris, como levar a própria vida e de onde vem a poesia ruim.”Pág 13

“Mitologia Nórdica” é um livro composto por 15 contos, através deles temos o conhecimento do inicio dos tempos até o seu fim, uma escrita estimulante e que cativa o leitor foi a que Neil Gaiman usou em sua obra, em cada conto me via mergulhada no mundo dos deuses e suas vivências, gigantes, tomaram conta dos meus dias de leitura, vi Loki inúmeras vezes com suas tramoias e trapassas em meus sonhos a noite, há muito tempo não me sentia tão conectada com uma leitura como me senti com está.
O autor se dedicou muito ao escrever o livro, ele foi fruto de uma pesquisa e bastante estudo e no final foi feita a reprodução desses contos de forma impecável. A leitura se torna tão gostosa e natural, muitas vezes engraçada com o fatos que Thor vivência que fica difícil não bajular o autor por isso.
Mesmo que eu não tenha lido muitos livros sobre mitologia e não conhecendo esse mundo paralelo nunca me passou pela cabeça que com uma obra tão bem elaborada eu já fosse me tornar fã do assunto, é claro que dei uma pesquisada a mais sobre tudo que li aqui, entretanto acredito que ainda preciso de mais livros como este para entender esse universo Nórdico.

“Ele viaja para todos os cantos sob disfarce, querendo ver o mundo como as pessoas comuns. Quando caminha entre nós, é na forma de um homem alto usando manto e chapéu”.Pág 20

A edição do livro está linda demais, a editora caprichou muito, e entre está capa das fotos que vocês podem ver por aqui e a outra meio azulada eu ainda prefiro esta preta com dourado e um toque de rose gold no final do martelo de Thor, a esse cabo tem história que rende uma noite, rs entendedores entenderão.Ainda sobre a obra, fiquei apaixonada pelos contos e agora percebo que gosto desse tipo de conteúdo, graças a escrita fluída e dedicada do autor me tornei fã desse trabalho que ele realizou e já adquiri outras obras do mesmo para ter mais contato com sua escrita, realmente iniciei 2019 com uma leitura digna.

Um das coisas que gostei no livro é divisão de capítulos curtos e que de certa forma deixam um gostinho de quero mais, quando estava quase acabando de ler um conto pensava nossa ele podia estender um pouquinho mais aqui eita história boa.
Por fim só queria deixar registrado o quanto gostei da leitura e da escrita do autor, os personagens mais marcantes deste livro sem dúvida é Thor e Loki pelo menos na minha opinião foram eles que tornaram a obra tão interessante, estou louca para ler os próximos livros dele, já separei alguns e em breve volto aqui para contar tudo a vocês.

Neil Gaiman nasceu em Hampshire, Inglaterra, e hoje vive perto de Minneapolis, nos Estados Unidos. Descobriu seu amor pelos livros na infância e devorava as histórias de C.S. Lewis, J.R.R. Tolkien, James Branch Cabell e Edgar Alan Poe, entre outros autores. Começou a carreira como jornalista, mas logo o talento para construir tramas e universos únicos o levou para o mundo dos quadrinhos, com a aclamada série Sandman, e depois para a ficção adulta e infantojuvenil. Suas obras receberam inúmeros prêmios e medalhas e foram adaptadas em bem-sucedidas versões para cinema, televisão e até ópera.

 
Título Original: Norse Mythology| Páginas: 288| Editora Intrínseca| Compre: Amazon|
Avaliação: 5/5
02 jan, 2019

Leituras Favoritas De 2018

Quando comecei a separar as leituras que mais gostei do ano, fiquei tão preocupada e confesso me desapontei muito comigo mesma, foi um ano turbulento e triste, não falei abertamente aqui sobre tudo que rolou mais cá entre nós quem não passou momentos tensos esse ano? Acho que quase todo mundo viveu de forma turbulenta em 2018.
Mas voltando as leituras favoritas, fiquei triste porque eu gostaria de ter lido muito mais do que fiz e me comprometi novamente a aumentar essa lista de leituras durante 2019, quero ler tanto quanto eu puder, seja conto, poesia, artigos, livros maiores ou menores não importa, e além de ler mais livros, quero muito sair da minha zona de conforto, adoro livros clássicos e fico encantada quando vejo resenhas sobre eles, meu objetivo é conhece-los melhor e espero muito que isso aconteça!

Enfim, vamos falar de leituras que me marcaram neste ano, o primeiro livro que quero comentar aqui foi tão emocionante e difícil porque aborda questões tão tristes e ao mesmo tempo valiosas a nossa existência, a humanidade, a leitura de “O Menino Da Lista De Schindler” foi uma enxurrada  de lições tão significativas que ele foi o primeiro favorito deste ano.
“Leon vivia com sua mãe e irmãos em Narewka uma pequena cidade na Polônia, lá ele viu seu pai trabalhar muito para mante-los e aprendeu desde cedo o quanto o trabalho era importante, seu pai era inteligente sabia muitas coisas e devido a isso conseguiu um emprego melhor em outra cidade Cracóvia, lá ele trabalhou mais e guardou cada centavo para que um dia pudesse trazer Leon e o restante de sua família para junto dele, isso demorou um pouco pra acontecer mais por fim estavam todos juntos e felizes em Cracóvia” Confira a resenha completa AQUI.
Um do momentos mais marcantes deste ano sem dúvida foi a eleições e neste período me recordei da leitura que realizei “O Conto Da Aia” um livro forte, marcante e intenso de se ler, meu segundo favorito do ano.

“O Conto Da Aia” apresenta um ficção escrita de forma conquistadora onde após a guerra é criado uma nova sociedade em um lugar chamado Gilead conhecido como antigo Estados Unidos, nessa nova sociedade são impostas regras e leis de convívio altamente cumpridas pelos moradores do local, esses que por sua vez foram divididos, a mulheres foram classificadas como Esposas, essas são mulheres dos comandantes locais, temos as Marthas que ficaram responsáveis pela limpeza e organização das casas das Esposas, as Econoesposas que são esposas econômicas de homens sem patente que faziam todo o trabalho reservado a elas, conhecemos as Tias, mulheres severas que se responsabilizaram pelo treinamento e controle absoluto das Aias, as Aias eram mulheres que ainda tinham fertilidade e foram destinadas a reprodução local. Confira a resenha completa AQUI.

Uma das coisas que mais queria em 2018 era conhecer melhor o trabalho do Cortella, vi algumas de suas palestras e vídeos e achei o cara sensacional, quando iniciei minha graduação em letras fiquei fascinada com o conteúdo que ele tinha produzido, queria muito ler seus livros e tive a oportunidade, “Porque Fazemos O Que Fazemos” foi uma das obras mais importantes ja lidas por mim.

Citando pensadores como Karl Marx o autor nos direciona por toda a obra em questões que temos dificuldade em resolver como por exemplo o descontentamento com nosso trabalho, com o que fazemos e o porque fazemos determinada atividade, para que fim realizamos tais coisas, ou seja perceber qual o motivo praticarmos determinada atividade ou situação. O objetivo de Cortella é fazer com que raciocinamos onde queremos chegar, o que estamos fazendo para se chegar nesse determinado lugar ou conquistar tal posição em nossas vidas. Confira a resenha completa AQUI.

Tem leitura que causam um quentinho em nosso coração, e Para Todos Os Garotos Que Já Amei é um desses livros, quanta fofura e amorzinho em um a história só, adorei a obra e o filme ficou tão bom quanto, e com toda certeza ele se tornou um favorito.

Lara Jean é a filha do meio e possui uma relação de amizade e parceria com suas irmãs, Margot é a mais velha é a que cuida da família de uma forma especial e com a responsabilidade que assumiu quando a mãe morreu, sempre muito correta e com muita coragem Margot enfrentou todos os desafios para ajudar seu pai a criar suas irmãs e para manter a organização da casa. Kitty é a irmã mais nova, porém as vezes parece ser a mais sábia das três em muitas questões, muito determinada Kitty possui uma característica muito forte quando se trata de conseguir o que quer. Confira a resenha completa AQUI.

Como mencionei no incio do post eu tenho uma paião por clássicos e decidi conhecer uma autora muito comentado em 2018 , de inicio achei a obra toda confusa e quase desisti, mais percebi nas palavras da autora o que ela de fato estava transmitindo, e foi sensacional, “Mrs Dalloway” foi meu quinto e último favorito de 2018, desejo reler ele em 2019 pois a escrita merece.

Clarissa Dalloway é um mulher na casa do cinquenta anos, casada, pertence a classe média alta da sociedade onde vive, e irá dar uma festa, ela percorre as ruas de Londres em busca de flores e dos preparativos para o evento que irá realizar logo mais a noite, durante sua caminhada e compras acontece diversos encontros e reflexões que o leitor vai acompanhando durante a leitura. Confira a resenha completa AQUI.

Estes foram meus livros favoritos de 2018, que 2019 seja lindo para todos nós e cheio de boas leituras, um grande beijo e até a próxima!
18 dez, 2018

[Resenha] Boa Noite – Pam Gonçalves

A leitura é algo que me proporciona muito aprendizado, por isso gosto tanto de pratica-la, este ano li poucos livros nacionais e gostaria de ter feito mais isso, por esse motivo resolvi ler um e-book nacional, e escolhi uma autora que como escritora começou abordando assuntos muito bons, Pam Gonçalves é uma das inspirações que me levaram a criar meu próprio blog, adoro ver seus vídeos, não cheguei a conhecer seu blog mais sei que deveria ser tão bom quanto, adorei sua escrita e a força que a leitura nos proporciona como mulheres, espero muito que gostem da resenha!

Sinopse:Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

“Boa Noite” é um livro sobre autopreservação, sobre lutas diárias, uma história de superação no universo feminino que aborda diversas questões importantes, como o abuso sexual, o preconceito, crimes cometidos contra a mulher e a luta que nós travamos todos os dias contra tudo isso.
Conhecemos “Alina” nossa protagonista e desde do inicio como leitora já tenho uma sensação muito forte a respeito dessa jovem, ela está embarcando em uma nova fase de sua vida, irá iniciar a faculdade e terá que se mudar, no local onde irá viver nos próximos meses ela conhece seus novos colegas.
“Manu” é uma jovem muito extrovertida, diferente, faladeira e com um enorme coração ela irá recepcionar Alina na república, lá moram também o casal “Talita e Bernado” ele são muito apaixonados e muito unidos, uma paixão ardente habita entre os dois. Por fim ela é apresentada ao dono da república e morador “Gustavo” é jovem, bonito e estuda medicina, logo de cara percebe-se um mistério muito atraente no rapaz.
Quando começaram a aulas Alina já imaginou o que estava por vir, ela escolheu fazer engenharia da computação um curso que em sua maioria era realizado por homens, na sala de aula a jovem se uniu as poucas mulheres da turma e logo de cara sentiu os olhares e ouviu os cochichos preconceituosos, o que ela não imaginava é o quanto aquele machismo ficaria agressivo com o passar dos dias.
“Alina” ainda não tinha ideia do quanto as coisas na faculdade iriam ficar complicadas, mais já estava vivendo um pouco dos problemas locais, no inicio foi a algumas festas e lá conheceu pessoas que aos poucos descobriu não ser bem o que ela pensava, em uma luta constante com seu grupo de estudo a novata traça um caminho para enfrentar diversas questões durante o ano letivo e graças a um projeto que desenvolveram elas conseguem combater essas questões,  em sua maioria crimes cometidos contra as estudantes do campus.
“Pela primeira vez em muito tempo desejo ser a Alina do passado de novo. Tentar ser diferente não está sendo uma boa experiência” Pág. 153
 
 
O livro traz uma abordagem muito atual contra o abuso sexual, o preconceito, o bullyng  e a impunidade, a autora mostra a luta de jovens estudantes contra todas estas questões e enfatiza a importância do respeito, da amizade, do companheirismo e do amor entre as pessoas.
“Várias garotas sofrem abuso sexual todos os dias na nossa universidade, na nossa cidade, no nosso estado, no país, no mundo inteiro. E a maioria não denuncia e não pede ajuda.[…] Sabem por quê? Porque a maioria vai ser culpada por vocês. Por nós. Porque, para a nossa sociedade, é normal assediar. Porque se ela não quisesse, não sairia de roupa curta. Porque, se ela não quisesse, não andaria sozinha. Porque, se ela não quisesse, não estaria bebendo. Porque, se ela não quisesse, não estaria VIVENDO.” Pág. 212
Com uma escrita envolvente Pam Gonçalves nos transporta para o mundo de Alina e nos faz refletir sobre situações tão reais vividas pela personagem, a leitura nos mostra a importância de não nos deixarmos calar diante de alguma injustiça cometida contra as mulheres ou qualquer outra pessoa, de forma sutil também através da leitura é possível perceber as formas de racismo tão presentes ainda nos dias em que vivemos. Através da história de Alina é passado uma mensagem de que acima de tudo somos todos iguais.
Foi um imenso prazer ter a oportunidade de ler está obra e espero que vocês tenham gostado da resenha, um grande beijo e até a próxima!
Conheça o  novo conto da autora, disponível em: Bom Ano
Jovem Adulto • Editora Galera • 240 Páginas • Classificação: 5/5
Skoob • Compre: Amazon
01 maio, 2017

[Resenha] Harry Potter e Câmera Secreta

Continuo amando minhas leituras da série, com uma linguagem simples e cativante J.K Rowling conquista muitos leitores e esse segundo livro foi tão bom quanto o primeiro! Aqui tive a oportunidade de conhecer mais do universo de Potter e seus amigos queridos, adorei!

Sinopse:Os Dursley estavam tão anti-sociais naquele verão, que tudo o que Harry queria era voltar às aulas da Escola de Bruxarias de Hogwarts. No entanto, quando já terminava de fazer suas malas, Harry recebe um aviso de um estranho chamado Dobby, que diz que um desastre acontecerá caso Potter decida voltar à Hogwarts. Harry não liga para aquela mensagem e o desastre realmente acontece. Naquele segundo ano estudando em Hogwarts, novos horrores surgem para atormentar Harry, incluindo o novo professor Gilderoy Lockhart e um espírito chamado Moaning Myrtle, que assombra o banheiro feminino, além de olhares indesejados da irmã mais nova de Ron Weasley, Ginny. Todos esses problemas, no entanto, parecem menores quando o verdadeiro problema começa e algo transforma os alunos de Hogwarts em pedra. Dentre os suspeitos: o próprio Harry. Descubra o fim desta aventura emocionante.Harry está passando as férias de verão com seus tios e primo trouxas os Dursley, e eles estão tratando o jovem bruxo com ainda mais desprezo do que antes, Harry não vê a hora de voltar para Hogwarts e rever seus amigos e estranhamente não se lembraram de enviar ao menos uma carta pra ele, isso o deixa confuso e triste. Não é novidade para ninguém que seus tios e primo não gosta de Harry mais dessa vez eles estão passando dos limites, trancaram o jovem bruxo em seu quarto e o deixaram passar fome, quando Harry já havia perdido as esperanças de férias melhores algo o surpreende.

“O livro continua cheio de magia e fiquei fascinada com a construção de cada personagem, a autora trabalha de um forma minuciosa e detalhista o que chama a atenção na leitura e gostei muito da maneira como a narrativa do livro acontece, me fez sentir parte da história.”

Ainda na casa dos tios Harry recebe uma estranha visita de uma criatura muito diferente de tudo que ele já tinha visto, Dobby, um pequeno ser que resolveu tentar manter Harry fora de Hogwarts alegando que ele estava em perigo, porém esta criatura não obtêm sucesso e Harry tem mais uma surpresa, seu amigo Rony veio resgata-lo no meio da noite e de uma maneira bem diferente, Rony e seus irmãos pegaram o carro encantado do pai para resgatar Harry que estava preso na casa dos tios.
A leitura deixa muito claro ao leitor sobre o valor das amizades, de uma família e coisas simples que passam despercebidos no dia a dia, e que as vezes não damos tanta importância até que nos fazem falta, ler Harry Potter nos abre os olhos e a mente para pequenas coisas da vida e isso é maravilhoso.

A viagem para Hogwarts teve uma parada na casa do Ron Weasley, lá o garoto ficou encantado com tudo que uma vida em família e pessoas queridas pode oferecer, já na escola de bruxos com seus amigos Hermione e Rony, juntos os três iniciam sua jornada de aventura e mistérios, neste segundo anos coisas horríveis acontecem a Harry, coisas que Dobby tentou lhe alertar e ele não se importou, umas das coisas ruins foi um novo professor que era uma farsa, no entanto junto de seus amigos o bruxinho está disposto a resolver tudo para que paz volte a Hogwarts.

Adorei ler este segundo, em breve volto aqui pra contar a vocês mais sobre está história maravilhosa de magia, amizade e coragem, espero que tenham gostado um grande beijo e até a próxima!

05 jan, 2016

Resenha Amor Amargo Jennifer Brown

Os sentimentos para esta leitura se misturam, um dos livros mais impactantes que já li neste gênero, não digo que fiquei surpresa porque sei que a autora tem esse dom, ela escreve sobre coisas duras e inaceitáveis como ninguém faz, espero muito que gostem da resenha.

Sinopse: Último ano do colégio: a formatura da estudiosa Alex se aproxima, assim como a promessa feita com seus dois melhores amigos, Bethany e Zach, de viajarem até o Colorado, local para onde sua mãe estava indo quando morreu em um acidente. O Dia da Viagem se torna cada vez mais próximo, e tudo corre conforme o planejado.Até Cole aparecer. Encantador, divertido, sensível, um astro dos esportes. Alex parece não acreditar que o garoto está ali, querendo se aproximar dela. Quando os dois iniciam um relacionamento, tudo parece caminhar às mil maravilhas, até que ela começa a conhecê-lo de verdade…Em um retrato realista de um relacionamento conturbado, a autora Jennifer Brown – do sucesso A Lista Negra – nos leva até o limite de nossos sentimentos.

Em Amor Amargo conhecemos a Alex, ela planeja uma viajem com seu melhores amigos Zach e Bethanny desde da infância, eles querem juntos ir para o colorado, essa viagem é muito importante para ela porque sua mãe perdeu a vida em um acidente indo até lá e para Alex seguir em frente ela precisa saber porque que a mãe queria estar no colorado, viajar com Alex se tornou o objetivo de seus melhores amigos, que desde de então se reúnem para fazer planos e decidir situações sobre a viagem que está programada para férias.

Os três terríveis vivem juntos desde de pequenos, e se denominaram assim por brincadeira, Alex trabalha em uma lanchonete onde tem como uma mãe Georgia sua chefe, elas trabalham em equipe e ela da um duro danado para juntar grana para viagem, seu relacionamento com as irmãs e com o pai não é dos mais perfeitos, segundo Alex as irmãs lidaram melhor que ela com a morte da mãe já o pai prefere agir de forma negativa, não tem diálogo com as filhas e se recusa a falar com Alex sobre a morte da mãe e o que ela tinha ido fazer no colorado.

Em um dia comum de aula, Alex está dando reforço para Zach seu melhor amigo que esta com dificuldade em algumas matérias quando a diretora local lhe informa que ela terá um novo aluno e que Zach passará a ter aulas com outra menina porque Alex era melhor na matéria que o novo aluno precisava estudar, e então ela teve seu primeiro e estranho encontro com Cole um garoto mais ou menos da idade dela que havia se mudado para sua cidade e estava tentando entrar no time de basquete da escola para isso precisava de boas notas, e a propósito ele era lindo de morrer, o relacionamento dos dois estava cada vez mais intimo e Alex se sentia cada vez mais interessada por Cole, ele por sua vez demonstrava o mesmo interesse, começaram a se encontrar em pouco tempo estavam se relacionando e dando incio a um namoro.

A partir dai a jovem se afasta de seus amigos e da inicio a uma fase muito sombria e difícil de sua vida, ela se entrega a um relacionamento abusivo e se vê presa na própria vida por conta disso. Com medo enfrentando um problema atrás do outro com seu namorado agressor ela irá precisar tomar uma decisão muito importante, a de se libertar!

A leitura desse livro lhe faz refletir de diversas maneiras sobre situações do cotidiano, o livro é um alerta a relacionamentos abusivos, para pessoas que possam estar dentro de um relacionamento assim e não percebem, o leitor fica preso aos acontecimentos  criados pela autora, recomendo a leitura a todos mais principalmente ao jovens.

Com uma escrita que chega a marcar nossos pensamentos a autora desenrola sua trama, contando um pouco sobre o sofrimento de uma jovem que tem a vida e a dignidade tomadas por um namorado doente, possessivo e que ao meu ver como leitora também necessita de ajuda.

Uma das coisas que costumo ver e se tornou rotina em histórias como está é a empatia com a pessoa que sofre a agressão e a falta dela com o agressor, não quero me precipitar mais em muitas casos o agressor é tão doente quanto a vitima e precisa tanto de ajuda psicológica como a pessoa ao qual ele fez mal, eu pouco vejo isso acontecer o que na minha opinião gera um ciclo sem fim de agressores e mulheres machucadas ou ao contrário.

O que estou tentando dizer é que em cada caso é preciso que exista empatia mesmo que seja muito doloroso, é necessário lembrarmos que algo desencadeou a agressão e se ninguém a ajudar essas pessoas que agridem seus parceiros assim como ajudamos as vitimas o ciclo permanece, por exemplo um pai que foi agredido e abusado pelo pai dele, este por sua vez foi agredido e abusado pelo avô do pai e tem 99% de chance de passar isso adiante agredindo seu filho e o mesmo acontecerá com o neto.

Espero muito que tenham gostado da resenha e da minha opinião sincera sobre o assunto, vejo vocês na próxima!

 
Título: Amor Amargo|Gênero: Jovem Adulto|Páginas:256|
Editora: Gutenberg| Minha Avaliação: 4/5
12 nov, 2015

Resenha A Morte De Sarai J.A Redmerski

Quando se incia uma leitura como está é impossível não se surpreender, um romance obscuro, uma vida roubada, sentimentos diversos são transmitidos pela protagonista e o desenrolar do livro absorve o leitor pouco a pouco. Não imaginei que fosse me apegar tanto a obra e foi uma dos melhores livros do gênero que já li até o momento.

“A Morte De Sarai” relata a história de vida de uma jovem foi tirada de sua própria existência, Sarai foi criada e escravizada sexualmente por um homem sem escrúpulos dono de uma maldade sem tamanho e muito poderoso. Se pararmos para refletir o livro aborda uma situação muito comum que acontece o tempo todo no mundo, neste exato momento uma mulher esta passando por algo parecido com o que aconteceu a personagem.


“Eu tenho medo de tudo. Do que o amanhã vai trazer e de não estar viva para viver. Tenho medo que Javier ou qualquer um entre por essa porta e me mate enquanto eu durmo. Tenho medo de nunca levar uma vida normal. Nem sei mais como é ser normal.

Sarai não teve uma infância com a maioria das crianças , sua mãe era dependente química ou viciada em drogas como preferir e não tinha muito o hábito de se importar com a filha. Mesmo diante de tantos problemas a jovem tinha uma lar ao lado da mãe, aos 14 anos a jovem foi levada para o México, foi trancafiada em uma espécie de prisão por nada mais que 9 anos. Lá foi abusada, agredida, desrespeitada, lhe tiraram tudo, sua dignidade foi a primeira das coisas que levaram de sua vida.
É difícil para o leitor acompanhar todo esse trajeto trágico de Sarai sem sentir raiva, angustia e sensação de injustiça, a leitura se torna pesada e caminha para uma história ainda mais sombria, porém o livro foi escrito para nos envolver com os personagens e a escrita consegue nos prender nos acontecimentos da trama.
Conhecemos Victor um matador profissional que irá entrar na vida de Sarai de uma forma bem singular, e de certa forma irá ajuda-la a dar um novo rumo a sua história, mesmo que ele ainda não saiba disso. A profissão que Victor escolheu o tornou um homem duro sem escrúpulos na hora de comprimir uma missão, frio e calculista ele extermina um a um de seus alvos. Para ser uma matador é proibido sentir e é isso que o rapaz faz ele deixa de sentir.
O livro centra-se na relação que irá acontecer em entre Sarai e Victor e tudo que um tem a oferecer para o outro, notamos então o quanto a vida dos personagens é vazia e mesmo que os dois desenvolvam uma paixão e desejo é muito mais  difícil falar de amor para esse relacionamento.
Ao mesmo tempo que a leitura se torna mais instigante e com mais adrenalina o leitor também percebe a profunda tristeza que envolve esse casal nada tradicional, Sarai acaba aprendendo muito com Victor e o desejo de vingança cresce em seu peito.
JA Redmerski criou uma obra que na minha opinião merece uma adaptação nos cinemas eu iria adorar ver Victor e Sarai juntos em um filme, a leitura se torna fácil e rápida conforme vamos desbravando os acontecimentos e possui uma continuação que estou louca para ler, em breve venho contar tudo a vocês, um beijo e até a próxima.
Título Original: A Morte De Sarai|Gênero: Suspense|Páginas:256|
Editora: Suma De Letras|Minha Avaliação: 5/5
08 ago, 2015

Resenha Correr Drauzio Varella

Drauzio Varella é médico e bem conhecido no Brasil, neste livro ele decidiu nos contar um pouco sobre como é ser um maratonista e a importância da atividade física para o corpo humano. Correr é um livro diferente do que tenho costume de ler e recebi a obra após um sorteio no Skoob, achei seu conteúdo motivador e espero que gostem da resenha.

Sinopse: Drauzio Varella é oncologista, autor de best-sellers, voluntário numa prisão, pesquisador do uso medicinal de espécies amazônicas e ainda celebridade na TV. Mas consegue há mais de vinte anos conciliar esse atribulado dia a dia com a prática regular de exercício físico. Para ele, correr não é só um hobby: é o que lhe dá o equilíbrio para enfrentar os desafios da vida.Drauzio conta como e por que decidiu espantar o sedentarismo; relata o desafio da primeira maratona; nos dá um panorama da história das corridas desde sua suposta origem na Grécia antiga; oferece informações médicas sobre a prática; e, de quebra, nos leva de “carona” num passeio sensível pela alma humana. Leitura indispensável para corredores e futuros corredores.

Para o autor ser maratonista vai além de uma competição é mais como um estilo de vida e durante a leitura somos apresentados a algumas de suas aventuras e superações. Ele nos conta como começou a correr e o que o motivo a isso, suas lutas diárias são narradas de forma simples e fluída.O autor nos conta que se redescobriu como pessoa após decidir ser maratonista e nos mostra como consegue á mais de 20 anos conciliar sua vida profissional, pessoal e atividade física que tanto gosta. Por inúmeras vezes Drauzio nos deixa claro o quanto fazer exercícios, caminhadas e etc é importante para nossa saúde.

Para Drauzio correr não é apenas um hobby e sim a maneira que ele encontrou para ter equilíbrio na vida, como muito humor ele relata toda sua trajetória e garanto que vocês iram se surpreender com essa maravilhosa história.

O livro entrega uma proposta diferente do que estou acostumada e de forma simples navegamos pelas palavras do médico que muito inteligente nos conduz a refletir sobre nossa vida, saúde e o que gostaríamos que melhorasse, adorei ter a oportunidade de conhecer a obra, e espero que vocês tenham gostado da resenha.

Título Original: Correr|Gênero: Nacional|Autobiografia|Páginas:216|
Editora: Companhia Das Letras|Minha Avaliação: 4/5
19 jul, 2015

Resenha Cidades De Papel John Green

John Green é um escritor que conquistou muitos fãs pelo mundo todo, quando tive contato a primeira vez com uma obra sua foi lendo a culpa é das estrelas que a propósito foi um livro sensacional que me emocionou muito e me trouxe grandes lições, enfim resolvi ler Cidades De Papel e ver como o autor desenrolou a história de Margo e Quentin. Nesta obra não tive muitos momentos positivos durante minha leitura e algumas coisas me incomodaram um pouquinho, espero que gostem da resenha!

Sinopse: Em Cidades de papel, Quentin Jacobsen nutre uma paixão platônica pela vizinha e colega de escola Margo Roth Spiegelman desde a infância. Naquela época eles brincavam juntos e andavam de bicicleta pelo bairro, mas hoje ela é uma garota linda e popular na escola e ele é só mais um dos nerds de sua turma. Certa noite, Margo invade a vida de Quentin pela janela de seu quarto, com a cara pintada e vestida de ninja, convocando-o a fazer parte de um engenhoso plano de vingança. E ele, é claro, aceita. Assim que a noite de aventuras acaba e um novo dia se inicia, Q vai para a escola, esperançoso de que tudo mude depois daquela madrugada e ela decida se aproximar dele. No entanto, ela não aparece naquele dia, nem no outro, nem no seguinte.Quando descobre que o paradeiro dela é agora um mistério, Quentin logo encontra pistas deixadas por ela e começa a segui-las. Impelido em direção a um caminho tortuoso, quanto mais Q se aproxima de Margo, mais se distancia da imagem da garota que ele pensava que conhecia.

Quentin está terminando a escola e como todo adolescente que possui paixões ele não é diferente a razão dos olhos desse jovem brilharem chama se Margo Spielgelman sua vizinha. Eles se conhecem desde da infância e foram marcados por uma situação que viveram juntos, quando mais novos encontraram um homem morto em um parque perto de onde moravam.
Após alguns anos os jovens seguem caminhos diferentes ela se torna a garota mais amada da escola e atrai olhares de todos o garotos. Ele um simples estudante em busca de um lugar ao sol. Cada um deles tinha seus próprios amigos e não se falaram muito desde então.
Em uma noite nada comum Margo invade o quarto de Quentin, ela decide convida-lo para sair por algum motivo que ele desconhecia, mais sua fascinação pela garota o leva a aceitar. Durante essa aventura noturna Margo conta com a ajuda de Quentin para visitar alguns amigos, durante a visita eles fizeram algumas coisas nada legais, era um tipo de vingança, também invadiram locais proibidos coisa tipica de adolescente.
Q tinha vivido o que ele chamou de a melhor noite de sua vida, e ficou muito feliz de ter aceitado o convite de Margo, entretanto no dia seguinte ela some, como não é a primeira vez que a jovem faz isso todos começam a procurar as pistas, porque ela tem esse costume de deixar pistar para que a achem. O sumiço de Margo se estende por mais tempo que o comum e as pessoas começam a se preocupar com ela. Nesse momento Quentin decide ir em busca de Margo, após encontrar uma mensagem em sua janela, o jovem se reuni com um amigo e parte para acharem sua vizinha e paixão de infância.
A escrita do autor ainda que não tenha gostado tanto da obra foi fluída até certo ponto eu consegui acompanhar bem a trama, em alguns momentos me perdi nos pensamentos dos personagens e fiquei confusa quanto a intenção de cada um presente na história.
O título do livro é explicado por Margo, uma personagem que na minha opinião sofre uma profunda depressão pelas desilusões da vida, com sentimentos conturbados e que sem querer arrastou Quentin para o meio de tudo isso. Outro fator que me incomodou muito, apesar de estar relacionado a fatos da vida real.
A amizade é um tema muito vivido durante a leitura e isso confesso a vocês me agradou bastante, durante a busca por Margo notamos a aproximação de Quentin ao seu grupo de amigos, outro fator interessante sobre a obra é o suspense, sem duvida John Green soube trabalhar bem as questões que envolvia o sumiço de margo, ponto positivo para o autor.
Apesar de em muitos momento a leitura ter se tornado cansativa, tentei levar ao máximo que pude de forma esportiva, mais acredito que é algo que o autor precise trabalhar melhor porque se essa é sua característica de escrita não esta indo muito bem. Infelizmente não me senti motivada com a leitura, pelo contrario me levou ao um estado de desanimo mesmo.
O livro não me surpreendeu em vários aspecto, mais o final foi o mais sem graça possível, e sei que estou sendo muito sincera, mais foi o que senti durante a leitura não posso negar ou mudar o que senti com a obra.
Aos que gostaram de Cidades de papel eu respeito, mais infelizmente não foi uma leitura tão positiva no meu caso como leitora, até breve! Beijos!
Título Original: Cidades de papel|Gênero: Literatura Estrangeira|Páginas:368|
Editora: Intrínseca|Minha Avaliação: 2/5