Posts arquivados em Tag: Preconceito

18 dez, 2018

[Resenha] Boa Noite – Pam Gonçalves

A leitura é algo que me proporciona muito aprendizado, por isso gosto tanto de pratica-la, este ano li poucos livros nacionais e gostaria de ter feito mais isso, por esse motivo resolvi ler um e-book nacional, e escolhi uma autora que como escritora começou abordando assuntos muito bons, Pam Gonçalves é uma das inspirações que me levaram a criar meu próprio blog, adoro ver seus vídeos, não cheguei a conhecer seu blog mais sei que deveria ser tão bom quanto, adorei sua escrita e a força que a leitura nos proporciona como mulheres, espero muito que gostem da resenha!

Sinopse:Alina quer deixar seu passado para trás. Boa aluna, boa filha, boa menina. Não que tudo isso seja ruim, mas também não faz dela a mais popular da escola. Agora, na universidade, ela quer finalmente ser legal, pertencer, começar de novo. O curso de Engenharia da Computação – em uma turma repleta de garotos que não acreditam que mulheres podem entender de números -, a vida em uma república e novos amigos parecem oferecer tudo que Alina quer. Ela só não contava que os desafios estariam muito além da sua vida social. Quando Alina decide deixar de vez o rótulo de nerd esquisitona para trás, tudo se complica. Além de festas, bebida e azaração, uma página de fofocas é criada na internet, e mensagens sobre abusos e drogas começam a pipocar. Alina não tinha como prever que seria tragada para o meio de tudo aquilo nem que teria a chance de fazer alguma diferença. De uma hora para outra, parece que o que ela mais quer é voltar para casa.

“Boa Noite” é um livro sobre autopreservação, sobre lutas diárias, uma história de superação no universo feminino que aborda diversas questões importantes, como o abuso sexual, o preconceito, crimes cometidos contra a mulher e a luta que nós travamos todos os dias contra tudo isso.
Conhecemos “Alina” nossa protagonista e desde do inicio como leitora já tenho uma sensação muito forte a respeito dessa jovem, ela está embarcando em uma nova fase de sua vida, irá iniciar a faculdade e terá que se mudar, no local onde irá viver nos próximos meses ela conhece seus novos colegas.
“Manu” é uma jovem muito extrovertida, diferente, faladeira e com um enorme coração ela irá recepcionar Alina na república, lá moram também o casal “Talita e Bernado” ele são muito apaixonados e muito unidos, uma paixão ardente habita entre os dois. Por fim ela é apresentada ao dono da república e morador “Gustavo” é jovem, bonito e estuda medicina, logo de cara percebe-se um mistério muito atraente no rapaz.
Quando começaram a aulas Alina já imaginou o que estava por vir, ela escolheu fazer engenharia da computação um curso que em sua maioria era realizado por homens, na sala de aula a jovem se uniu as poucas mulheres da turma e logo de cara sentiu os olhares e ouviu os cochichos preconceituosos, o que ela não imaginava é o quanto aquele machismo ficaria agressivo com o passar dos dias.
“Alina” ainda não tinha ideia do quanto as coisas na faculdade iriam ficar complicadas, mais já estava vivendo um pouco dos problemas locais, no inicio foi a algumas festas e lá conheceu pessoas que aos poucos descobriu não ser bem o que ela pensava, em uma luta constante com seu grupo de estudo a novata traça um caminho para enfrentar diversas questões durante o ano letivo e graças a um projeto que desenvolveram elas conseguem combater essas questões,  em sua maioria crimes cometidos contra as estudantes do campus.
“Pela primeira vez em muito tempo desejo ser a Alina do passado de novo. Tentar ser diferente não está sendo uma boa experiência” Pág. 153
 
 
O livro traz uma abordagem muito atual contra o abuso sexual, o preconceito, o bullyng  e a impunidade, a autora mostra a luta de jovens estudantes contra todas estas questões e enfatiza a importância do respeito, da amizade, do companheirismo e do amor entre as pessoas.
“Várias garotas sofrem abuso sexual todos os dias na nossa universidade, na nossa cidade, no nosso estado, no país, no mundo inteiro. E a maioria não denuncia e não pede ajuda.[…] Sabem por quê? Porque a maioria vai ser culpada por vocês. Por nós. Porque, para a nossa sociedade, é normal assediar. Porque se ela não quisesse, não sairia de roupa curta. Porque, se ela não quisesse, não andaria sozinha. Porque, se ela não quisesse, não estaria bebendo. Porque, se ela não quisesse, não estaria VIVENDO.” Pág. 212
Com uma escrita envolvente Pam Gonçalves nos transporta para o mundo de Alina e nos faz refletir sobre situações tão reais vividas pela personagem, a leitura nos mostra a importância de não nos deixarmos calar diante de alguma injustiça cometida contra as mulheres ou qualquer outra pessoa, de forma sutil também através da leitura é possível perceber as formas de racismo tão presentes ainda nos dias em que vivemos. Através da história de Alina é passado uma mensagem de que acima de tudo somos todos iguais.
Foi um imenso prazer ter a oportunidade de ler está obra e espero que vocês tenham gostado da resenha, um grande beijo e até a próxima!
Conheça o  novo conto da autora, disponível em: Bom Ano
Jovem Adulto • Editora Galera • 240 Páginas • Classificação: 5/5
Skoob • Compre: Amazon
17 out, 2018

Resenha A Lista Negra Jennifer Brown

Sinopse: E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio.

“A lista negra” é uma das leituras mais marcantes que ja realizei, é com essa história que resolvi iniciar o blog, uma ficção que vale a pena ser contada por estar muito relacionada com a realidade e atualidade,  a escrita de Jennifer é intencionalmente direcionada ao publico jovem o que me agradou muito, pois no momento que estamos vivendo é fundamental termos escritores para esse público.

Valerie e Nick são namorados e estudam no mesmo colégio, ambos sofrem diariamente com o preconceito e a intolerância em seu ambiente escolar, por conta desse bullying eles decidem criar uma lista com os nomes das pessoas que praticam essa agressões, nesta lista os jovens mencionam qual punição cada aluno merece ter.

Em uma manhã como muitas outras, Nick entra na escola armado e dispara contra diversas pessoas, inclusive Valerie acaba levando um dos tiros, Nick parecia ter alvos específicos, os mesmos nomes da lista, acertar Valerie foi um acidente, e a jovem não sabia de fato o que estava acontecendo, ela nunca imaginou uma atitude assim de seu namorado. No final desse dia muitas pessoas estavam machucadas e Nick estava morto.

A jovem Valerie agora precisava lidar com diversas situações, o fato de que seu namorado estava morto era uma dor assombrosa para ela, para agravar ainda mais sua situação as pessoas estavam desconfiadas da jovem, sua família mesmo a desamparou no momento mais difícil de sua vida. Valerie não percebeu o sinais de revolta em Nick e durante muito tempo se culpou por isso, ela precisou de muita terapia e autocontrole. Infelizmente a protagonista não poderia voltar ao passado mais sim tentar um novo futuro.

— Tudo bem se alguém deixar você vencer de vez em quando (…) não precisamos ser sempre perdedores Valerie. Eles podem querer que a gente se sinta assim, mas nós não somos perdedores. Às vezes também ganhamos.❞

A leitura se torna extremamente envolvente conforme conhecemos mais sobre os personagens, a abordagem da autora foi uma das coisas mais importantes ao meu ver, escrever sobre assuntos tão delicados é um dom que já sabemos que Jennifer Brown possui, adorei a maneira como o livro foi construindo, e acredito que todos deveriam ler sobre esse tema.
A protagonista dessa história passou por muito sofrimento, muitas pessoas a deixaram de lado, a culparam, a isolaram pelos atos de Nick, achavam que ela tinha mandado ele executar tal ato e isso a atormentou a desmotivou, o fato principal para que Valerie superasse tudo isso foi se perdoar por tudo, foi uma longa caminhada mais ela enfim conseguiu.

O intrigante na narrativa de “A lista negra” é exatamente sabermos que o preconceito e bullying estão muito presentes em nossa vida, nos tornando a pior versão de nós mesmos, acredito que a obra é um alerta a sociedade, a todos que praticam ou que sofrem esse tipo situação, um alerta aos pais, e amigos de pessoas que passam por dificuldades como as dos personagens.

O livro nos traz uma lição de coragem, amadurecimento e  principalmente de compreensão, foi um experiência incrível ler o trabalho da autora e recomendar a todos vocês é mais como um dever. Espero que tenham gostado da resenha e que possam tirar grandes lições dessa estória assim como eu.
Um grande beijo e até a próxima!

Jovem Adulto • Editora Gutenberg • 272 Páginas • Classificação: 5/5
Skoob • Compre: Amazon SubmarinoSaraiva

01 jul, 2015

Resenha Eleanor & Park Rainbow Rowell

Sempre gostei de leituras que me proporcionasse algum tipo de ensinamento, e que junto a isso eu pudesse transmitir o que aprendi as pessoas que gosto e me relaciono, esse foi o ponto crucial da leitura de Eleanor & Park, aprendi muito, e quero passar isso a vocês. Espero que gostem da resenha.

Sinopse: Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, Geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e “grande” (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família. Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.

Eleanor & Park é livro que retrata a história de dois adolescentes, eles se conhece no período escolar trata-se de um romance, porém tem muito drama na história desses jovens, contada de uma forma mais leve e tranquila a autora narra as dificuldades enfrentadas durante o relacionamento de ambos uma leitura cheia de lições, que aborda o preconceito e o bullyng praticado nas escolas. A leitura também relata a importância da família na vida de jovens como os personagens criados por Rainbow.

Eleanor vive uma realidade completamente diferente de Park, onde enfrenta dificuldade financeira, e um padrasto que não gosta dela, vivendo em casa com seus quatro irmãos e a mãe ela detalha coisas simples do nosso cotidiano que lhe fazem muita falta, e também o preconceito enfrentado na escola onde estuda. Por ser diferente da maioria das garotas Eleanor passa por muitas provações enquanto nova e isso mexe muito com leitor. Uma mãe submissa, um padrasto agressivo, as dificuldades com os irmãos  mais novos e a triste realidade financeira de sua família a obriga amadurecer mais rápido do que deveria.
“Não existem príncipes encantados, pensou ela. Não existem finais felizes. Ela olhou para Park. Dentro dos olhos verdes dele. Você salvou minha vida, ela tentou dizer. Não para sempre, não definitivamente. Provavelmente, só por certo tempo. Mas salvou minha vida, e agora eu sou sua. O que sou agora é seu. Para sempre”
 
A jovem conhece Park que também é diferente, porém mantem se distante de confusão e no inicio não acha uma boa ideia ser visto com ela, mais o destino tem uma pequena surpresa para eles, que começam a se apaixonar um pelo o outro.
Quando o padrasto da jovem descobre seu relacionamento com Park, ela decide que é hora de fugir, essa decisão implica na separação do jovem casal, o sofrimento entre eles é muito nítido  para leitor, um dos momentos mais emocionantes da leitura.
A autora abordou diversas questões sociais muito importantes o que tornou sua obra cada vez mais especial e importante, o livro é intercalado entre as narrativas dos personagens e da autora, gostei muito da maneira escolhida por Rowell para narrar sua história. É muito difícil não se sentir tocada pela leitura, me emocionei em muitos momentos.
Através de sua escrita a autora entregou sua proposta de forma magnifica, muito condizente com a realidade e ligada diretamente a ela seus personagens são mais que exemplos, são modelos a serem seguidos por muitos jovens. O livro tem um pouco de tudo amor juvenil, lições, paixão e muito mais, simplesmente adorei.
Espero muito que tenham gostado!
Título Original: Eleanor & Park|Gênero: Ficção, Drama|Páginas:328|
Editora: Novo Século|Minha Avaliação: 5/5