[Resenha] As Bruxas Da Noite- Ritanna Armeni-@seoman

27 de fevereiro de 2020Michelle

Saber mais sobre a segunda guerra mundial através dessa leitura foi algo transformador em minha vida enquanto leitora, ter acesso a certos conhecimentos fornecidos de forma significativa nesse livro foi uma experiência única que me proporcionou diversos sentimentos, entretanto o maior deles foi de orgulho, e irei contar a vocês o porque!

Sinopse:Neste livro, a jornalista italiana e escritora premiada, Ritanna Armeni, reconstrói a história de um grupo de mulheres soviéticas fiéis à sua pátria: as aviadoras do 588º Regimento de Bombardeio Aéreo Noturno Soviético. Com um importante papel de liderança durante as batalhas contra o Terceiro Reich, elas prejudicavam e muito a vida dos alemães durante a Segunda Guerra Mundial, aparecendo nos céus carregadas de bombas. Os nazistas as chamavam de “bruxas da noite”. A autora revela informações sobre a criação, a luta e as vitórias dessas mulheres que foram apagadas da história após o declínio de suas carreiras como aviadoras devido ao conservadorismo e preconceito do Estado Soviético.

Introdução

Acredito que muitos conheçam o trabalho duro e o papel das mulheres na guerra, geralmente estão associados a cuidados médicos, auxilio, costura, mensagens, lavar, cozinhar, limpar ou até mesmo curar algum ferido, transmitir/ escrever mensagens e etc. Mais me digam uma coisa você ai que está lendo essa resenha já ouviu, leu ou viu em qualquer veículo de informação que uma mulher foi colocada na linha de frente durante a guerra?

Essa pergunta ficou ecoando em meu ouvido por dias durante minha leitura, eu particularmente desconhecia por completo a história que me foi contada em “As Bruxas Da Noite” – A história NÃO contada do regimento aéreo feminino russo durante a segunda guerra mundial!

” As Bruxas Da Noite” surgiram quando Marina Raskova heroína e símbolo nacional identificou a necessidade de agir diante da quebra do pacto de não agressão que existia entre Hitler e o governo soviético, fazendo com que cada vez mais perdessem território, foi um período duro e muito intenso para todos, no meio de toda aquele ódio existia pessoas, mais especificamente jovens mulheres que se colocaram a disposição do governo para contra atacar seu inimigo. Raskova era uma mulher de fibra, forte e reconhecida por seu país devido a uma sequência de atitudes e conquistas que teve ao longo de sua carreira, foi ela quem convenceu Stalin de formar um regimento feminino com intuito de atacar pelo ar o inimigo mais cruel. Em 1941 surgiu assim as Nachthexen.

“Enquanto eu esperava aquele “não” transforma-se em “sim”, decidi dirigi-me aos livros, ao menos temporariamente. A majestosa entrada da biblioteca Lenin, dominada pelo olhar pensativo de Fiodor Dostoievski, ficava ali, a dois passos da praça vermelha.”

Ritanna Armeni é escritora e jornalista e quando conheceu a história das bruxas quis muito trazer isso para o mundo e contar tudo as pessoas, porque afinal todos precisavam saber, com esse desejo em mente ela buscou informações e se esforçou muito para conseguir um encontro com Irina Rakobolskaya uma das últimas bruxas vivas que a jornalista teve conhecimento. Suas primeiras tentativas foram um fracasso total, entretanto após alguns nãos ela finalmente conseguiu um primeiro encontro com Irina, física, professora, pesquisadora, heroína de guerra, pilota de avião, vice comandante do regimento aéreo 588 e por fim a portadora de informações exclusivas de tudo que aconteceu durante aquele período marcante em nossa história.

Com 96 anos de idade em seu apartamento ela relatou a Ritanna e a Eleonora Mancini as memórias dos dias vividos na guerra. A partir desse momento o leitor é transportado para uma outra época, uma dura realidade se instala na leitura, as diferenças, preconceitos e todos os detalhes de dificuldade são relatados na obra. Temos uma visão de como era ser mulher em um período de guerra, não que hoje seja muito diferente mais garanto que naquela época era muito pior, graças a muito esforço e histórias como a deste livro estamos evoluindo como pessoas nesse mundo tão cruel, uma luta que está longe do fim mais que traz frutos vez ou outra a quem lá atrás deu início a busca pela igualdade que tanto almejamos.

 Sobre o livro…

A obra entrega um trabalho de pesquisa, história e memórias de forma impecável, a escrita de Armeni é tão envolvente que fica difícil largar o livro, a escritora/jornalista usou de todo seu conhecimento e entregou sua proposta de forma muito marcante e intensa, adorei cada capítulo, mesmo aqueles que me emocionaram ou me fizeram imaginar estar no lugar de uma daquelas mulheres incríveis ou aqueles que me causaram repulsa, o livro precisava de tudo que foi colocado nele para fazer sentindo. Adorei a atitude de trazer uma história tão importante para a literatura e mostrar isso para o mundo, foi uma experiência muito positiva!

Um pouco mais da história…

Todas as integrantes do regimento aéreo me deixaram extremamente orgulhosa, primeiro por serem mulheres lutando por igualdade acima de tudo, segundo por amarem sua pátria a ponto de arriscar suas vidas de forma inusitada, existia medo, receio, preconceito, situações constrangedoras, e mesmo assim elas seguiram em frente, terceiro por passarem todo horror do conflito e não desistirem nunca. Elas queriam estar na guerra, queriam fazer parte daquilo e derrotar seu inimigo, de certo modo conseguiram muito mais do que isso. Foram histórias de vidas motivadoras as que li, o treinamento dessas mulheres durou 6 meses o normal para os homens era de três anos, conseguem imaginar isso?

A situação exigia muito delas, e segundo todo o relato não foi nada fácil passar por tudo e permanecer com o mesmo ideal do começo. Os equipamentos que lhes foram entregues a começar pelos aviões que eram de madeira apenas com uma lona como proteção, sem nenhum tipo de tecnologia, era precário mais extremamente eficaz para o que elas iriam fazer, as mesmas teriam que voar de noite e atacar o inimigo de maneira que ele não pudesse revidar, para se direcionarem teriam que ter muita noção de espaço e tempo e para isso se tornarem especialistas na bússola. Esses são alguns dos detalhes que encontramos durante a leitura, e que nos fazem refletir a todo momento.

Voltar para suas vidas após o término da guerra foi uma tarefa árdua, como viver de forma normal após passarem por tudo isso, o que deixa um leve acalento é saber no fundo de seus corações que fizeram a diferença contra o inimigo, que graças a elas muitas coisas foram diferentes.

Por fim saber que naquela época já existia mulheres trabalhando por igualdade me inspirou profundamente, o livro é inspirador, motivador e emocionante , recomendo a todos que queiram saber mais a respeito desse período tão conturbado que marcou milhares de vidas ao longo dos anos.

Esse foi meu primeiro livro recebido e lido em parceria com o grupo editorial pensamento, a obra em questão foi publicada pelo selo Seoman que faz parte do grupo, queria deixar registrado o capricho e cuidado com a edição que me foi enviada, a diagramação e ortografia estão perfeitas e a capa do livro reflete muito do que ele fala é linda demais! Meu muito obrigada pela chance de leitura acertaram em cheio na escolha! 🙂

Título original: Uma Donna Puó Tutto |Gênero: Biografia/Memórias|Páginas:248 |Editora: Seoman Minhas avaliação: 5/5

Espero que tenha gostado

Xoxo

 

 

 

Comments (11)

  • PS Amo Leitura

    3 de março de 2020 at 15:14

    Antes de tudo, parabéns pelas fotos. Estão magníficas! <3 Esse livro eu ainda não conhecia e o que me chamou mais atenção é saber que é uma história não contada. Imagina quantas coisas existem nele! Fiquei realmente curiosa para conhecer. E fiquei feliz que o Grupo Editorial Pensamento acertou em cheio em seu gosto. Espero ter a chance de ler essa obra também.

    Beijos.

  • Karoline

    3 de março de 2020 at 21:43

    Oi Michelle

    QUE LIVRO MARAVILHOSO. ja tinha visto esse livro antes mas não conhecia o conteúdo dele, sabe. E to encantada!
    Ja quero ler e conhecer a vida dessas mulheres incriveis que fizeram sua própria sorte , utilizando os pobres recursos que lhe foram disposto e aprendendo de tudo com o pouco que tinham para fazer o máximo de cada uma delas. QUE ORGULHO

    Lindas fotos

  • Larissa Dutra

    4 de março de 2020 at 14:48

    Olá, tudo bem? Eita, parece ser um livro super interessante e inspirador! Não conhecia a obra ainda, mas fiquei louca para ler, pois adoro ler sobre a Segunda Guerra, e um livro sobre as mulheres na época então? Quero!!!

  • Ana Caroline Santos

    8 de março de 2020 at 21:34

    Olá, tudo bem? Nossa com certeza deve ser uma história que inspira e que nos lembra desses momentos turbulentos da humanidade. Acho que realmente não lembro de ter lido algo do estilo, o que me faz ficar mais instigada ainda. Dica anotada!
    Beijos

  • Clayci Oliveira

    10 de março de 2020 at 12:58

    Esse livro está na minha lista de desejados e estou torcendo para conseguir lê-lo em breve.
    Também gosto de enredos com a segunda guerra como pano de fundo. Ainda mais de ter mais informações sobre esse período e conhecer de fato quem participou dessa momento tao delicado da História.
    Tem várias mulheres poderosas, inclusive – mesmo que em outro momento – a própria rainha da Inglaterra já ficou nessa posição. Mulheres fortes, que fizeram toda a diferença. Quero e preciso ler esse livro e sua resenha me deixou mais animada.

  • Beatriz Andrade

    11 de março de 2020 at 21:53

    Não posso passar por aqui sem elogias suas fotos lindas!
    Eu estou louca para ler esse livro, o tema me fascina e descobrir um esquadrão unicamente feminino me deixou completamente interessada em ler, com certeza é uma obra que vai me agradar

  • Leticia Rodrigues

    11 de março de 2020 at 22:49

    esse lviro me lembra um que eu terminei, mulheres e caça as bruxas, que fala sobre isso tbm as mulheres vistas como bruxs, não conhecia esse que tu leus mas parece bem bacana e me deixou curiosa.

  • Aline Coelho

    15 de março de 2020 at 23:07

    Achei muito interessante o enredo real desse livro e que máximo essas mulheres pilotos \o/ com certeza muitas mulheres tiveram seu protagonismo nesse período tão triste da história da humanidade. Mas enfim valeu demais pela dica, eu não conhecia esse título.
    Parabéns pela leitura, pelas fotos e pelo texto.

  • Mari

    16 de março de 2020 at 09:37

    Amo livros que contem a verdadeira trajetória feminina na guerra, pois muitas mulheres estavam sim na linha de frente mas tiveram suas histórias apagadas. Quero muito ler esse livro.
    Beijos
    Mari

  • Mara Santos

    20 de março de 2020 at 19:21

    Eu amo livros que se passam na segunda guerra, mas quando fui lendo a sua resenha, fui sentindo que esse livro tem um diferencial nele, acho que traz uma perspectiva de abordagem diferente dos outros que eu li. Amei cada detalhe que você contou aqui!!! Dica mais do que anotada!

  • Dayhara Ribeiro Martins

    20 de março de 2020 at 20:07

    Apesar de ser uma obra extremamente bem disposta e com muita informação, eu não sei se teria coragem para ler uma obra dessas, eu sou chorona demais e qualquer coisa que remeta a guerra já me deixa com o coração apertado. De qualquer forma, adorei sua resenha e achei essa resenha linda!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Anterior

[Filmes] Produções Em Cartaz-Fevereiro 2020

26 de fevereiro de 2020

Próximo Post

[Resenha] Os segredos Que Guardamos - Lara Prescott-@intrínseca

8 de março de 2020
error: Content is protected !!