Meu primeiro contato com John Green, e posso dizer que fiquei encantada com a leitura, uma obra emocionante, um romance lindo que nos leva a suspirar, uma escrita fluída e uma história cheia de ensinamentos, superações, amizade e amor. Espero que gostem da resenha!

Sinopse: Hazel foi diagnosticada com câncer aos treze anos e agora, aos dezesseis, sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões. Ela sabe que sua doença é terminal e passa os dias vendo tevê e lendo Uma aflição imperial, livro cujo autor deixou muitas perguntas sem resposta. Essa era sua rotina até ela conhecer Augustus Waters, um jovem de dezessete anos que perdeu uma perna devido a um osteosarcoma, em um Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Como Hazel, Gus é inteligente, tem senso de humor e gosta de ironizar os clichês do mundo do câncer – a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas. Com a ajuda de uma instituição que se dedica a realizar o último desejo de crianças doentes, eles embarcam para Amsterdã para procurar Peter Van Houten, o autor de Uma aflição imperial, em busca das respostas que desejam. Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A Culpa é das Estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar.

Hazel Grace tem 16 anos e sofre de um câncer terminal, a doença a devasta como a maioria das pessoas que possuem câncer e seus pais resolve coloca-la em um desses centros de apoio a pessoa com câncer esse tipo de coisa, no inicio a garota não sente confortável, mais é lá que ela irá conhecer Augustus que também tem câncer e não possuem uma das pernas, os dois se apaixonam e Haze apresenta a Augustus um livro que ela adora mais que termina no meio de uma frase e sua continuação nunca sai isso a incomoda muito.

Os dois descobrem que ganharam uma viagem para conhecer o autor deste livro que gostam tanto, mais a apresentação é decepcionante, o escritor não corresponde as expectativas do casal,eles resolvem então aproveitar a viagem e tentam esquecer  a doença que ambos possuem, por um instante eles se sentem felizes, mais essa história vai muito além dessas poucas palavras, é o amor superando barreiras e tentando entender as coisas que nos acontece na vida.

Me senti tão emocionada com a leitura que demorei um tempo para vir aqui escrever sobre ela, os personagens criados por John são tão fortes que nos motivam durante todo o livro, o câncer é uma doença que sinceramente não consigo entender, ela se instala em seu corpo e toma conta de tudo como se fosse dela, e mesmo com tanta evolução na medicina algo nos bloqueia a descobrir certas curas que gerariam um alivio a tantas pessoas.

O livro possui uma escrita simples de fácil entendimento, não é muito extenso em sua história, mais é emocionante acompanhar o romance dos personagens e tudo que vivem juntos, John Green me ganhou com essa leitura.

Inspirado na história de vida da jovem Esther, uma adolescente que aos 12 anos foi diagnosticada com câncer de tireoide, e faleceu em 2010 deixando uma lição de generosidade e amor a todos que tiveram a oportunidade de conhece-la o autor criou um livro de conteúdo corajoso, inspirador e ao mesmo tempo devastador.

A história desse livro ganhou adaptação nos cinemas e o filme nos faz refletir tanto quanto livro, uma linda lição a que aprendemos com os personagens. John disse que se não tivesse conhecido Esther talvez não teria ido tão longe com esse trabalho.

Espero muito que tenham gostado, um grande beijo e até a próxima!

Título Original: The  Fault In Our Stars|Páginas: 238|Editora Intrínseca|Compre: Amazon|
Minhas Avaliação:5/5