[Resenha] O Livro De Líbero – Alfredo Nugent Setubal @intrínseca

22 de julho de 2020Michelle

O Livro de Líbero” foi uma leitura completamente fora da minha zona de conforto, inicialmente lenta e que foi difícil de concluir, entretanto já adianto as palavras escritas nessa obra irá mexer tanto com seu leitor que valerá cada página lida. Acredito que minha dificuldade com a leitura se deu através do momento atual que estou vivendo, porém a carga emocional presente nesse livro é extremamente forte, envolvente e necessária. Espero que gostem da resenha!

Sinopse: Quando o Circo Bosendorf chega a Pausado e se instala naquela que possivelmente é a menor cidade do mundo, toda sorte de eventos pode acontecer. Massimo Perim, com seu apurado faro jornalístico, logo envia ao local uma equipe da sua Gazeta de Pausado para descobrir quais serão as atrações da tão esperada noite. Seu filho Líbero – autointitulado “redator-repórter-editor-chefe-júnior” do jornal – e Rubio, o fiel escudeiro dos Perim, partem rumo à empreitada sem imaginar que algo fantástico e inexplicável espera por eles. Embora tenha crescido imerso em aventuras literárias, naquela noite será oferecido ao menino um livro que ele nunca imaginaria ter nas mãos, um volume grosso, de capa vermelha, e, a cada página virada, a oportunidade de ler eventos do próprio futuro reescrito em diferentes versões. Aceitar levá-lo ou rejeitar a chance de saber o roteiro da própria vida são as alternativas que podem mudar para sempre o destino não apenas de Líbero, mas de todos aqueles que ama e da própria cidade.Em seu livro de estreia, Alfredo Nugent Setubal leva o leitor para um passeio pelos caminhos da memória, investiga a natureza do tão familiar sentimento de “e se tivéssemos feito tudo diferente?” e nos mostra que o futuro talvez não passe de inúmeras versões do caleidoscópio do presente. Skoob.

Lançado em um primeiro momento pelo clube de leitura intrínsecos, o livro nos conta a história primária de Líbero Perim e da cidade onde nasceu, cresceu e viveu por longos anos. A obra é marcada por um acontecimento a chegada do circo Bosendorf e tudo que ele traz consigo, uma carga muito pesada para os personagens de Alfredo.

Massimo Perim é responsável pelo jornal da cidade de Pausado e ele controla as noticias que circulam por lá, além de ser o redator chefe também é pai de Líbero um jovem magricela que sofre por sua falta de altura e força e reza para que um dia ambas as coisas evoluam. Quando o circo chega a cidade onde vivem,  Massimo não pensa duas vezes em mandar os melhores de sua equipe para o local, ele quer uma matéria completa sobre o circo.

A equipe composta Redator, repórter, editor, chefe júnior nesse caso Líbero Perim e Rubio um fiel amigo  foram até o local designado para matéria e começaram a entrevista com o dono do circo. Algo naquele dia muda para sempre a vida desses dois amigos. No fim da entrevista ambos descem a famosa colina.

“Um pequeno milagre Líbero, um milagre estupendo”

Mais tarde naquele dia todos estão se preparando para irem  assistir o famoso espetáculo, Líbero mais ansioso do que nunca porque naquele mesmo dia na parte da tarde convidou Nanza (uma jovem que pouco sorri mais que desperta em Líbero algo diferente)  para se sentar com ele durante a apresentação, estão todos prontos as 19:01 e rumo ao circo, Líbero ao chegar no local procura por Nanza e se depara com uma das maiores decepções já vividas,  sentada junto a Marco outro morador de Pausado Nanza sorri de um jeito nunca visto por Líbero.

Aquela situação mexeu muito com jovem que em seus onze anos nunca imaginaria sentir nada do tipo, cercado por uma cena que não queria ver, engolido por sentimentos de frustrações e rancor com aquele espetáculo Líbero foge da tenda azul a procura do fôlego que perdeu lá dentro. Foi quando avistou uma outra tenda, iluminada mais adiante da tenda azul, ele não sabe mais ir até ela e entrar naquele lugar desconhecido irá mudar toda sua trajetória de vida.

“Você já imaginou ganhar o livro da sua vida?”

O livro de Líbero é uma obra sensível sobre evolução, dor, perda crescimento e acima de tudo amor, uma escrita que te leva ao mais profundo que um ser humano consegue chegar. A obra nos traz diversas reflexões sobre quem somos ou quem gostaríamos de ser, a escolha do seu personagem em aceitar ler o livro de sua própria vida é algo singular diferente de tudo que já li, sinceramente nunca me imaginei lendo sobre minha própria vida, saber de coisas futuras é tentador e assustador ao mesmo tempo.

A graça dos livros estava justamente em descobrir o final no virar de cada página, no viver de cada capítulo.

Para Líbero era tolice a mais pura e desordem decisão, que afetou completamente o rumo de tudo que viveu e experimentou. A leitura nos mostra como a vida é incerta, repleta de tristeza e dor somos levados para dentro do coração do personagem criado por Nugent e isso me assustou, me emocionou e me desorientou por diversas vezes durante a leitura. Acredito que foi   essa minha maior dificuldade separar o que estava lendo do que estou vivendo de fato.

A obra foi dividida em duas etapas passado com flashes de memória dos personagens e presente, isso deixou a história ainda mais curiosa e motivadora, o autor trabalhou a linguagem mais simples possível então torna-se uma leitura de fácil compreensão e quando a compreendemos de fato nos emocionamos muito com tudo que foi narrado.

Sendo o primeiro livro nacional lançado pelo clube de leitura da intrínseca e possuindo características tão marcantes não poderia deixar de recomenda-lo á vocês, entretanto estejam preparados para o que irão encontrar na escrita de Alfredo Nugent que mesmo simples nos toca profundamente. Espero que tenha gostado da resenha!

Xoxo

Título Original: O Livro de Líbero|Gênero: Ficção/Drama|Páginas: 255|Editora:Intrínseca|Minha Avaliação:4/5|Comprar:Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados, comprando por eles vocês contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! 🙂

Comments (10)

  • Kênia Cândido

    27 de julho de 2020 at 13:47

    Oi Michelle.

    Estou conhecendo este livro através da sua opinião e gostei de saber que é uma obra motivadora e fácil compreensão. Até deu vontade de lê-lo. Obrigada pela dica.

    Bjos

  • Gleydson

    27 de julho de 2020 at 19:53

    Oi, tudo bem?

    Confesso que não conhecia a obra, mas achei a edição muito linda e parece realmente ser uma história capaz de mexer com o emocional do leitor. Irei pesquisar mais sobre a obra e, quem sabe, dar uma chance. Achei sua resenha super completa e as fotos muito lindasssss, parabéns !

    Abraços!
    http://www.acampamentodaleitura.com

  • Bianca Ribeiro

    28 de julho de 2020 at 15:15

    Nossa eu vi bastante gente falando do livro quando a intrinsecos lançou, mas depois disso não vi mais e nossa, ele parece ser mesmo muito bom! Eu gosto de livros que falam sobre amadurecimento, sobre dor e perda, acho que são histórias que tem muito o que contar pra gente e nós também podemos tirar boas lições deles.
    Não sabia que o livro era nacional e isso ainda me deixou com mais vontade de ler! Já coloquei na lista de desejados!
    Amei sua resenha e suas fotos, ficaram incriveis!!

  • Monique

    28 de julho de 2020 at 15:33

    Oi Michelle!
    Já tinha ouvido falar desse livro através da Isa do “Ler Antes de Morrer” ,me interessei muito na época, mas ainda não li.
    Sua resenha me refrescou a memória.

  • Ana Paula Lima

    28 de julho de 2020 at 19:02

    Oii!!

    Uau que história bacana! Eu não acompanho o clube intrínseco pq tô sem dinheiro e sempre me dói não poder ter, então eu não sabia da obra, muito bacana que um livro com um enredo tão bacana tenha sido o primeiro publicado pelo selo.

    Eu acho incrível quando existem flashbacks, memórias… Outra linguagem na história pq assim sinto que a leitura flui melhor, me instiga.

    Também já demorei para engatar leitura por motivos externos, é bem chato, mas super compreensivel.
    Enfim, achei a capa linda e gostei da sua resenha.

    Beijinhos,
    Ani
    http://www.entrechocolatesemusicas.com.br

  • PS Amo Leitura

    29 de julho de 2020 at 14:58

    Adorei conhecer sua opinião sobre essa obra. Esse, sem dúvidas, foi uma das melhores leituras lançadas pelo clube intrínsecos. Ele realmente fala sobre muitas questões, mas principalmente sobre o amor. Eu fiquei bem reflexiva ao longo da trama, imaginando como seria ler o livro da minha vida (garanto que não seria algo fácil). Ele realmente é um livo marcante e todos precisam ler!

  • CRIS

    1 de agosto de 2020 at 13:51

    Oi Michelle!
    Não conhecia esse livro e sinceramente se eu encontrasse numa livraria pela capa não despertaria meu interesse, ainda bem que tem resenhas para nos mostrar o quão bom pode ser uma obra. Adorei saber que o enredo engloba vários sentimentos e emoções que nos fazem refletir e fazem pensar, obrigado pela dica, parabéns pela resenha, bjs!

  • Ana Caroline Santos

    2 de agosto de 2020 at 00:35

    Olá, tudo bem? Eu lembro que quando o livro chegou pelos Intrínsecos, as opiniões a cerca da história eram bem divididas, mas todos falavam dessa sensibilidade do seu conteúdo. Apesar das ressalvas, sempre me vejo curiosa sobre porque é nacional, então darei uma chance. Gostei de saber um pouco mais dele, e ótima resenha!
    Beijos

  • Viviane Almeida

    2 de agosto de 2020 at 23:42

    Olá Michelle, que leitura interessante você fez eu ainda não conhecia esse livro ou o autor, e se eu fosse olhar apenas pela capa não ficaria interessada na história dele. Acredito que um livro nacional precisa ser mais divulgado e ter uma capa que conte mais sobre a história, que transmita um pouco dessa sensibilidade para os leitores, deixando eles com vontade de conhecê-lo.

  • Ana Paula Lima

    5 de agosto de 2020 at 11:50

    Oiii!

    Eu estava com o mesmo “problema” com umas obras que li recentemente. As vezes os fatores externos realmente atrapalha na ligação com a leitura… Eu não li o livro ainda, mas eu adorei a capa. No momento, não me sinto bem para ler uma obra com elementos tão densos, mas já deixei anotado para ler ainda esse ano.
    Eu gosto muito quando o enredo tem memorias e outras linhas de narrativas pq acho que flui melhor. Gostei da sua resenha e as fotos estão lindas!!

    Beijinhos,
    Ani
    http://www.entrechocolatesemusicas.com.br

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Post Anterior

[Resenha] Coraline - Neil Gaiman @intrínseca

9 de julho de 2020

Próximo Post

[Resenha] A Livraria - Penélope FitzGerald @bertrandbrasil

29 de julho de 2020
error: Content is protected !!