[Resenha] Praia De Manhattan @intrínseca

17 de março de 2019Michelle

“Praia De Manhattan” foi uma leitura que me deixou reflexiva sobre diversas questões, uma das mais importantes foi a criatividade da autora em criar um romance histórico tão centrado em seus personagens como nunca havia lido antes. Impactada ainda estou com o livro e tudo que ele representa, sua singularidade é admirável!



Sinopse: Tributo à tradição dos grandes romances americanos, o novo livro da vencedora do Prêmio Pulitzer acompanha Anna Kerrigan e Dexter Styles em um universo noir povoado por gângsteres, mergulhadores e banqueiros durante os tempestuosos anos 1940.Com quase 12 anos, Anna acompanha o pai à casa de Styles, uma figura enigmática que pode ser crucial para a sobrevivência de sua família. Durante a visita, ela fica completamente hipnotizada pelo mar em volta da construção e pelo mistério que ronda a relação entre os dois homens. Anos depois, o pai de Anna desaparece. Já adulta, ela se torna a primeira mulher mergulhadora e conserta os navios que vão ajudar o país durante a Segunda Guerra Mundial. É nesse cenário que, em uma noite de folga, reencontra Styles em uma boate. Certa de que ele pode ajudar a desvendar os segredos que envolvem a história do pai, Anna inicia uma relação tão improvável quanto perigosa. Skoob

Anna Kerrigan é uma criança peculiar, não tão bonita como sua irmã porém esperta e observadora como ninguém, ela vive uma infância centrada em seus relacionamentos familiares. Seu pai é um homem forte e transmite para a jovem menina uma segurança absurda de mundo, sua relação com ele é doce, sincera e de muito afeto. Em casa Anna tem uma outra pessoa importante, sua irmã, Lydia sofre de uma doença que não a permite, andar, falar, comer ou fazer qualquer outra coisa sozinha, mesmo assim é dona de uma beleza que faz brilhar os olhos de quem a vê.

Junto de sua mãe elas cuidam de Lydia com todo amor e afeto que se é possível, o momento mais íntimo entre as três mulheres daquela casa é quando o pai não está presente e elas podem dançar e sentir as ondas sonoras adentrarem suas almas. Geralmente após fazerem isso dão banho em Lydia para aliviar as tensões e dores que a pobre menina sente. Lavam seu cabelo com o mais cheiroso dos shampoos e mimam a pequena o máximo que podem.

Anna tem uma rotina da qual gosta muito, ela sempre está junto do pai em suas saídas a trabalho, ela é sua companheira e isso os unem muito, os passeios com o pai são os melhores e ela não abre mão de estar ao seu lado. Em um desses passeios as coisas mudam, e a jovem talvez muito tarde saberia o porque.

“Elas são bem mais fortes do que nós-ouviu-o dizer ao pai.-Por sorte nossa, não sabem disso” Página 17.

A obra foi ambientada em um período de crise, para muitas famílias em Nova York, a decadência de uma era, graças a quebra da bolsa de valores, para a família de Anna não foi diferente as dificuldades enfrentadas pela crise fizeram seu pai tomar uma decisão que permitiria a sobrevivência de todos.

“Só dói no começo-respondeu ela-Depois de um tempo, você não sente mais nada.” Página 16

A escrita de Jennifer Egan se intercala com a narrativa da jovem Anna e de seu pai, aos poucos o leitor também tem deslumbres de outros personagens narrando a história que compõem o romance, e essa escolha de escrita feita pela autora fez total diferença durante a leitura. Meu primeiro contato com seu trabalho foi absurdamente revelador e instigante, a forma como ela descreve cada acontecimento em seu livro nos faz adentrar aqueles cenários como se fossemos parte dele, entretanto somente como observadores dos fatos sem interferências maiores.

Inicialmente a obra de Egan é um total mistério, passagens desconhecidas ao leitor, até que a autora começa revelar de forma mais clara os conflitos que cercam seus personagens, as questões envolvendo o pai de Anna e sobre como ele decidiu salvar sua família da miséria também é colocada de forma misteriosa ao leitor o que torna o livro cada vez mais interessante. Após alguns anos podemos acompanhar a trajetória que Anna deu a sua vida, já mais velha e empregada em um uma função nada convencional, ela trabalha no arsenal da marinha e continua sendo a mesma jovem sonhadora que foi na infância. Mesmo ainda nutrindo sonhos como quando criança Anna se torna a responsável pelo sustento de sua família, após o pai ter desaparecido, aos poucos ela vai se desenvolvendo na marinha e sobe de cargo.

“As vezes é mais dificil pedir a Deus alguma coisa para si mesmo.”

Após muitos anos a jovem não desistiu de achar seu pai, e entre as responsabilidades do trabalho e família ela investiga paralelamente o seu sumiço, Anna acaba descobrindo que ele estava envolvido com um mafioso chamado Dexter Styles, essa descoberta é um choque para a jovem que constatou o envolvimento do pai com crime.

A obra é um misto de crise financeira e guerra, conhecemos um pouco daquele período e temos como pano de fundo uma época de corrupção, mafiosos, gangsters e ilegalidade. O livro possui quase 500 páginas em alguns momentos a leitura torna-se meio lenta o que foi um pouco difícil de lidar, fora isso a autora entrega um trabalho digno muito bem realizado que me agradou muito.

Jennifer Egan é uma escritora reveladora, criativa, inteligente, e consegue ligar seus personagens com os fatos e circunstâncias que propõem em sua obra, uma característica admirável, a edição lançada pela editora Intrínseca é muito bonita, adorei a capa do livro que já remete um pouco do que ele irá contar. O livro levanta algumas questões importantes atualmente e que devem ser debatidas de forma mais profunda, isso também provoca algumas reflexões sobre essas questões o que coloca o leitor para pensar.

Enfim a obra vale ser lida e conhecida, recomendo para os que procuram algo criativo e instigante, com personagens sólidos e histórias reveladoras.

Espero muito que tenham gostado!

Jennifer Egan nasceu em Chicago e cresceu em São Francisco. Além do premiado A visita cruel do tempo, que ganhou o Pulitzer de Ficção 2011, é autora do best-seller The Keep e teve trabalhos publicados nas revistas New Yorker, Harper's Magazine, Granta, GQ, Zoetrope e Ploughshares. Por seus artigos de não ficção, escritos para a The New York Times Magazine, recebeu diversos prêmios jornalísticos. Atualmente, Egan vive no Brooklyn com o marido e os filhos.

Jennifer Egan nasceu em Chicago e cresceu em São Francisco. Além do premiado A visita cruel do tempo, que ganhou o Pulitzer de Ficção 2011, é autora do best-seller The Keep e teve trabalhos publicados nas revistas New YorkerHarper’s MagazineGrantaGQZoetrope e Ploughshares. Por seus artigos de não ficção, escritos para a The New York Times Magazine, recebeu diversos prêmios jornalísticos. Atualmente, Egan vive no Brooklyn com o marido e os filhos.

Xoxo.
Título Original: Manhattan Beach|Páginas: 446|Gênero: Romance|Editora: Intrínseca |Minha Avaliação: 5/5 |Comprar: Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados da Amazon, comprando por eles você contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! 🙂


Comments (27)

  • viviane

    19 de março de 2019 at 00:23

    Oi Michelle, eu tenho muita vontade de ler algum livro desta autora, este eu ainda não conhecia. Achei uma trama bem envolvente, cercada de mistérios e emoções. A capa não chega a ser bonita, mas é bem sugestiva, gostei!
    Bjos
    Vivi

  • Yvens

    19 de março de 2019 at 13:51

    Olá, tudo bem Michelle?

    Eu já conhecia esse livro por meio de outros blogs, mas ainda não conheço a escrita da autora, nunca li qualquer obra de Jennifer. A capa não é das mais bonitas, mas o que importa é o conteúdo e isso parece não faltar no livro. As suas fotos ficaram bem bonitas, parabéns por isso e pela resenha que ficou bem legal.
    Abraço!

  • Ana Catarina

    19 de março de 2019 at 22:13

    Olá Michelle,
    Já conhecia o livro vagamente e uma das minhas motivações para a leitura de um novo lovro é que, aprenda sempre algo.
    Por acaso estou a ler um romance histórico agora e não está sendo fácil sair da minha zona de conforto.
    Beijinho

    http://tudosoblinhas.blogspot.com

  • Valéria

    20 de março de 2019 at 17:07

    apesar da premissa não ter me atraído muito, curti o fato da ambientação ser no contexto da Grande Depressão… Se eu ler algum dia, seria por esse motivo, a nível de curiosidade…

    bjs…

  • Andréia Freire

    21 de março de 2019 at 12:39

    Ah, que livro maravilhoso! Não conhecia a escritora Jennifer Egan, mas este livro vai pra minha lista de desejos, por ser tão instigante! Sua resenha está maravilhosa, estou seguindo seu blog. ♡

  • Beatriz

    22 de março de 2019 at 01:28

    Eu não conhecia o livro e a premissa dele me agradou, parece uma leitura intensa e tocante. Gostei da sua resenha e espero conseguir ler. Adorei as suas fotos, uma mais linda do que a outra.

  • Cabine de Leitura

    22 de março de 2019 at 12:27

    Não conhecia o livro, mas gostei de conhecer um pouco de sua singularidade e descobrir o porque de Anna e sua família ter te proporcionado uma leitura tão reveladora e instigante, então vou anotar essa sugestão. Quero ler.

  • kênia Cândido

    22 de março de 2019 at 16:53

    Oi Michelle.

    Adorei sua resenha, pois eu tenho este livro no Kindle, mas ainda não li. Acabei dando prioridade para outras leituras e com a sua opinião eu fiquei novamente com curiosidade. Também gostei de saber que o livro questiona algumas questões importantes e de forma mais profunda. Estou adicionando na meta de leitura para Abril. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

  • Mayara Milesi

    23 de março de 2019 at 03:41

    Ola Michele,

    Confesso para ti que não conhecia o livro e nem a autora, mas me pareceu uma historia bem emocionante ao seu modo. Não sei lhe dizer se me arriscaria na leitura, pois obras de leitura lenta são um pouco complicadas para mim, porem, por outro lado, gosto bastante de livros que envolve a mafia

    beijos

  • Marijleite

    23 de março de 2019 at 15:29

    Olá, a capa desse livro tinha chamado a minha atenção e eu estava super curiosa para conferir uma resenha dele, gostei de saber mais sobre a história e os personagens e achei muito interessante a época em que é ambientado, onde tantas famílias passaram por dificuldades financeiras.

  • lilian farias

    23 de março de 2019 at 20:20

    Uma capa bem diferente para um romance histórico. Já amei. aliás, esse é o tipo de capa que me faz parar para ver o que o livro pode oferecer, o fato de a autora ter ganhado um prêmio também, mas saber um pouco mais do livro em sua resenha, só me fez ter certeza que quero ler.

  • PS Amo Leitura

    23 de março de 2019 at 22:47

    Adoro livros que trazem reflexões e principalmente que abordam uma temática da Segunda Guerra! Não conhecia e fiquei muito curiosa! Uma pena que em alguns momentos a leitura ficou um pouquinho cansativa, mas acredito que faz parte da quantidade de páginas. De qualquer forma, parece maravilhosa! Dica anotadíssima.

  • Aline Coelho Cury

    24 de março de 2019 at 23:43

    Não conhecia esse livro mas lendo sua opinião achei o enredo bem interessante e tocante. Suas impressões conseguiram me apresentar um panorama do que esperar da enredo e com a leitura poderia me tocar. Enfim parabéns pela leitura e valeu pela dica de livro com conteúdo e mensagem útil para vida. Beijos

  • Mara

    25 de março de 2019 at 13:19

    Oi,
    Eu simplesmente amo livros que me fazem refletir, não conhecia esse e por isso foi muito bom ler a sua resenha.
    Anotei a dica e quem sabe não faço a leitura dele!
    Beijão e parabéns pela resenha!!

  • Ana Caroline Santos

    25 de março de 2019 at 13:20

    Olá, tudo bem? Adoro livros que tem contextos históricos, por isso somente isso já me faria ler ele. Depois de seus elogios a escrita, mesmo com 500 pág.,acho que com certeza darei uma chance. Não conhecia a obra confesso, mas depois da sua resenha fiquei encantada pela mesma. Dica mais que anotada!
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

  • Joanice oliveira

    25 de março de 2019 at 20:53

    Olá

    O enredo da história me lembra o filme Broklyn que se passa na mesma época citada, mas esse acaba sendo mais dramático e me parece bastante com minhas preferências.

    Beijos

  • Tiffannyk

    28 de março de 2019 at 00:20

    Oie, tudo bom?
    Primeiro tenho que elogiar suas fotos que estão maravilhosas <3

    Eu não conhecia a autora, mas adorei a sinopse, eu gosto de livros baseados em história, mas que focam em seus personagens, ainda mais quando eles, assim como esse intercalam a visão dos personagens, acho que fica mais fácil de compreender o todo da história, né?


    xoxo
    Tiffannyk
    @thereviewbooks | #thereviewbooks
    https://thereviewbooks.com.br

  • Kelly

    28 de março de 2019 at 16:03

    Oie,
    Não conhecia o livro, e o clima de drama e mistério me deixou curiosa com o enredo, e o fato de parecer ser aquele tipo de livro que te passa uma mensagem importante me deixou com muita vontade de ler.
    Dica anotada.

    Beijokas

    1. Michelle

      Michelle

      1 de abril de 2019 at 20:19

      Olá, obrigada pela visita, que bom que gostou, espero que possa ler em breve a obra!

  • jaque reis

    28 de março de 2019 at 19:13

    Nossa confesso que já tinha visto este livro por ai mas ele nunca tinha me despertado interesse. Fico feliz que seja uma escrita que tenha te agradado e com certeza irei dar uma chance!

    1. Michelle

      Michelle

      1 de abril de 2019 at 20:17

      Olá, muito obrigada pela visita, que bom que se interessou pela obra, beijos!

  • Lucy

    29 de março de 2019 at 01:25

    Oi, Michelle!
    Eu não conhecia a autora e nem o livro, acho que nunca li um livro ambientado na década de 40. Achei muito legal o seu ponto de vista em relação à leitura, pelo visto ela vale muito a pena.
    Bjos
    Lucy – Por essas páginas

    1. Michelle

      Michelle

      1 de abril de 2019 at 20:14

      Olá, obrigada pela visita, realmente foi uma leitura incrível que adorei realizar, beijos!

  • Mari Barros

    31 de março de 2019 at 18:51

    Olá!

    Que ótima resenha a sua, não conhecia o livro, mas fiquei super interessada no fato dele ser ambientado na década de 40. Suas fotos ficaram ótimas e super casaram com a resenha. Foi um posto super agradável de se ler <3

    1. Michelle

      Michelle

      1 de abril de 2019 at 20:13

      Olá, muito obrigada, fico imensamente grata quando vocês gostam do que posto aqui, beijos!

  • Giovana

    1 de abril de 2019 at 15:35

    Oii, tudo bem?
    Eu adoro livros que dão destaque para as mulheres em uma época que o machismo era tão presente, sem falar que também adoro livros que falam sobre a segunda guerra mundial e gangsters. Acho que esse livro tem tudo para fazer eu me apaixonar pela historia.

    1. Michelle

      Michelle

      1 de abril de 2019 at 20:13

      Olá tudo bem sim e com você? Fico muito animada por saber que gostou da obra, é uma leitura incrível, espero que você possa ler em breve! Beijos!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Anterior

[Filme] Dumplin @Netflix

16 de março de 2019

Próximo Post

[Resenha] Love Is In The Air 3 @lereditorial

21 de março de 2019
error: Content is protected !!