Motivação Literária

Resenhas Literárias, Dicas De leitura, Dicas de filmes e séries, Rotina de estudos, Experiências pessoais.

[Resenha] Pachinko - Min Jin Lee @intrínseca

Minha última leitura foi uma experiência marcante, uma história sobre diversas questões sociais, culturais, políticas, humanitárias entre tantas outras. Conhecer "Pachinko" é um privilégio que acredito ser muito valioso, espero que gostem da resenha!

Sinopse: No início dos anos 1900, a adolescente Sunja, filha adorada de um pescador aleijado, apaixona-se perdidamente por um rico forasteiro na costa perto de sua casa, na Coreia. Esse homem promete o mundo a ela, mas, quando descobre que está grávida ― e que seu amado é casado ―, Sunja se recusa a ser comprada. Em vez disso, aceita o pedido de casamento de um homem gentil e doente, um pastor que está de passagem pelo vilarejo, rumo ao Japão. A decisão de abandonar o lar e rejeitar o poderoso pai de seu filho dá início a uma saga dramática que se desdobrará ao longo de gerações por quase cem anos.Neste romance movido pelas batalhas enfrentadas por imigrantes, os salões de pachinko ― o jogo de caça-níqueis onipresente em todo o Japão ― são o ponto de convergência das preocupações centrais da história: identidade, pátria e pertencimento. Para a população coreana no Japão, discriminada e excluída — como Sunja e seus descendentes —, os salões são o principal meio de conseguir trabalho e tentar acumular algum dinheiro.Uma grande história de amor, Pachinko é também um tributo aos sacrifícios, à ambição e à lealdade de milhares de estrangeiros desterrados. Das movimentadas ruas dos mercados aos corredores das mais prestigiadas universidades do Japão, passando pelos salões de aposta do submundo do crime, os personagens complexos e passionais deste livro sobrevivem e tentam prosperar, indiferentes ao grande arco da história. Skoob
"Pachinko" nos apresenta a história emocionante de uma jovem coreana chamada Sunja, mas muito além de sua trajetória somos introduzidos a vida de seus pais e todo trajeto que viveram até concebe-la. O pai da jovem nasceu com algumas deformações e quando se casou teve outros filhos que não sobreviveram por diferentes motivos, até que sua esposa engravidou de Sunja e ela foi a única que permaneceu viva se tornando muito amada e cuidada pelos pais.


A história de Hoonie é a primeira que conhecemos nesse belo livro, ele se torna no futuro pai de uma jovem linda que o acompanhará por todo canto, mesmo com suas deformações esse homem constitui uma família, se torna respeitado e querido por muitos na vila onde mora. Sunja sua protegida filha se torna a coisa mais preciosa que ele possui e mesmo diante de tantos problemas, dificuldades financeiras, culturais, em meio a tanto caos político ele se dedica dia e noite a cuidar da menina.


A vida de Sunja muda quando seu pai acaba falecendo de tuberculose, sua mãe cuida dele até os últimos momentos, nessa nova etapa da vida dessas duas mulheres mãe e filha se tornam unidas em manter a pequena hospedaria que possuem funcionando, a trancos e barrancos com muito trabalho, esforço e suor elas cuidam dos homens hospedados da melhor maneira que conseguem, desde que seu pai faleceu Sunja se tornou uma jovem calada, focada em suas tarefas, entretanto nos últimos dias ela está ainda mais silenciosa.


Sunja está vivendo um dilema devastador para uma menina da sua idade, ela é responsável pela ida ao mercado local da hospedaria, lá ela encontra tudo que sua mãe precisa para alimentar os hóspedes, porém em meio ao conflito político atual os coreanos sofrem de um preconceito gigante por parte dos japoneses e outras pessoas, em uma de suas visitas ao mercado a jovem se vê cercada por um grupo nada amistoso de rapazes japoneses que a ofendem verbalmente e fisicamente, jogam suas preciosas e suadas compras no chão e zombam dela, mais nada se torna mais difícil do que entender as verdadeiras intenções do grupo de rapazes.

Sem chance de escapar dessa situação Sunja se desespera, está prestes a ser abusada por aqueles homens perderá sua honra e tudo que vem junto a ela, até que um misterioso homem a defende livrando-a do grupo. Tudo em sua vida muda a partir desse primeiro encontro, esse homem que é extremamente rico já vinha observando a jovem em suas idas ao mercado e seu interesse por ela era genuíno.

Sunja tem menos de 18 anos e sua inocência ainda prevalece, não sabendo nada a respeito da vida acaba deixando se envolver com este homem, se apaixona por ele e se entrega de corpo e alma. Essa decisão irá trazer um destino completamente imprevisível para ela, e só o futuro lhe dirá as consequências de sua decisão.
“A História falhou conosco, mas isso não importa.”
O livro traz de maneira muito marcante a realidade dos coreanos naquele período, excluídos e discriminados, uma mistura de preconceito, racismo, e ódio é o que embasa a leitura, os personagens presentes na obra são de características muito singulares e nos remetem a sentimentos diversos ao longo de cada capítulo. A vida sofrida daquela população que muitas vezes sem forças para lutar acabam morrendo nos mostra o quanto precisamos evoluir enquanto pessoas.

"Pachinko" está muito além de um romance é na verdade a história de vida de milhares de pessoas que precisam abrir mão dos sonhos, da dignidade, de suas convicções e de sua pátria para sobreviver em meio ao caos. Uma história intensa que nos envolve por completo foi a que a autora escreveu em seu livro. Rico em cultura e história somos introduzidos a esse universo que se torna tão significativo para nós enquanto leitores.


O livro foi dividido em três partes mais importantes e dentro de suas mais de 500 páginas a autora trabalha de uma maneia clara, objetiva e criativa o que torna seu trabalho muito especial, adorei a escrita de Min Jin ela sem sombra de dúvida nos trouxe um experiência muito valiosa em "Pachinko".

A obra possui um nome bem diferente que gera curiosidade, a própria história nos da as devidas explicações sobre Pachinko, são locais (salões) onde se pratica jogos de azar e são introduzidos na leitura sendo de grande significado na vida dos personagens criados pela autora, fazendo assim com que o leitor compreenda de onde vem o nome desta obra. Essa bela história faz parte do clube intrínseco e depois foi lançado com está linda capa, se você não conhece o clube intrínseco vou deixar aqui um link para acesso.

Particularmente sou apaixonada por histórias como a de Pachinko, saber sobre tudo que viveu Sunja e sua família me trouxe uma porção de aprendizado que irei levar comigo para o resto da vida. Como toda fã de um bom romance me identifiquei muito com a escrita e trabalho de maneira geral que Lee produziu, acredito ser o começo de uma relação entre autora e leitora incrível, espero muito ter a chance de ler mais livros escritos por ela, que assim que como este seja repleto de história, amor, paixão, superação e o mais importante de esperança. :)

Espero que tenham gostado da resenha!
Xoxo
Título original: Pachinko| Páginas: 527| Gênero: Romance| Editora: Intrínseca| Minhas Avaliação: 5/5| Comprar: Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados, comprando por eles vocês contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! :)

Comentários

  1. Olá,
    Fiquei muito tocada com sua resenha e o livro, a partir da resenha me dei conta que nunca li nada mais profundo do continente asiático, claro li bastante coisa voltado ao mundo profissional, mas romance e algo voltado à cultura coreana, por exemplo, nada. E com certeza buscarei obras a partir desse livro para entrar em contato com este novo mundo literário.

    bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  2. Quem leu Pachinko fala tão bem desse livro e sua resenha, que incrível!Estou nessa vibe de leituras com abordagem sobre coisas da ásia e percebo que quase todos trazem a questão social, cultural e humanitária em suas pautas. Até mesmo em um romance YA como "Frank e o Amor" tem a questão do racismo dos coreanos para com pessoas de outras culturas e eu fiquei tão chocado lendo as cenas que pirei. É interessante ver esse mundo pelas mãos desses autores que acabamos descobrindo mais sobre lugares e culturas que mal conhecemos. Parabéns por essa postagem de nível inquestionável! por Luneta Literária (Ytalo)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top