Motivação Literária

Resenhas Literárias, Dicas De leitura, Dicas de filmes e séries, Rotina de estudos, Experiências pessoais.

[Resenha] Janis Joplin - Holly George Warren @seoman

Escrever sobre leituras biográficas é uma tarefa complexa, preciso passar a vocês tudo que encontrei na obra de maneira consistente, sem repetições com concisão e coerência, tomara que através da resenha possa transmitir tudo que aprendi e absorvi dessa leitura tão significativa e interessante. Espero que gostem da resenha!


Sinopse: Escrito por Holly George-Warren, uma das mais respeitadas cronistas da história da música norte-americana, e baseado em um acesso sem precedentes a familiares da cantora, amigos, colegas de banda, arquivos, diários, cartas e entrevistas há muito perdidas, Janis Joplin – Sua Vida, Sua Música é um retrato completo, complexo e gratificante de uma das artistas mais notáveis de todos os tempos, que enfim recebe seu merecido reconhecimento e importância como uma das cantoras mais influentes da história do rock. Por meio de um estilo radiante e intimista, esta biografia consolida a “Rainha do Rock & Roll” como pioneira musical, alguém que, de fato, rompeu regras; uma mulher rebelde, de personalidade inteligente e complexa, que desafiou todas as convenções de gênero em sua época, abrindo caminho para as mulheres poderem extravasar suas dores e revolta no cenário artístico. Skoob



Sua Vida, Sua Música

Em 19 de janeiro de 1943, trinta e sete semanas mais tarde Nasce Janis Lyn Joplin, filha de Seth e Dorothy mais conhecidos como os Joplin, vinda de uma familia nada tradicional viveu durante toda sua infância e começo de adolescência com os pais em Port. Arthur Texas, cidade para a qual Seth e sua esposa mudaram-se e constituíram um lar anos depois.

A criação de Janis foi cercada de cuidado e dedicação principalmente por parte da mãe que tinha um compromisso de tornar a vida da filha melhor do que a sua quando jovem, vinda de um lar cheio de conturbações no relacionamento de seus pais Dorathy queria algo diferente e muito melhor para Janis, abandonou uma possível carreira como cantora e seguiu a diante junto de Seth, um homem de intelecto e esforço, trabalhador que sempre buscou algo melhor para a vida da família. Seth abandonou sua faculdade de engenharia e se dedicou ao trabalho árduo quando conheceu a mãe de Janis, eles não poderiam ser mais diferentes um do outro, ela gostava de cantar e dançar e ele sempre preferiu uma boa música e um bom livro. No final se completavam e se amavam e era isso que realmente importava.



"Não traia a si próprio. É tudo que você tem-JANIS JOPLIN"

Janis veio de uma família pioneira do Texas, pessoas que realmente iniciaram algo no mundo e tradicionalmente assumiam riscos, com esse instinto em um período de restrições de 1950 em que o Rock era exclusivo dos homens, o que levou Janis a se tornar um alvo fácil por ser mulher, mesmo assim ela seguiu em frente e foi passando por cima de todos os obstáculos que a perseguiam. Ficou conhecida por ser a única que tornou visível a busca de liberdade individual das mulheres daquela época. Janis tinha estilo quando cantava, inspirava e inspira até hoje mulheres de todos os cantos do mundo, as garotas que frequentavam seus shows se viam na artista, como se Janis cantasse não só para elas mais sim sobre elas!

Uma das características marcantes de Janis é que ela nunca se traia ou sua visão de mundo, sempre dispostas a ultrapassar limites não tinha medo das consequências assumiu-se como bissexual numa época em que isso era considerado crime ou ilegal. Toda sua trajetória foi desse jeito, enfrentando as críticas por ser ousada.



"Você só chega a ser aquilo que se conforma em alcançar"

Como mencionado acima os pais de Janis sempre foram dedicados a ela, estavam sempre prontos para trazer o melhor de sua filha a tona, entretanto nem tudo na vida da família foram flores, na verdade boa parte da jornada de Janis foi sombrio, obscuro, sua rebeldia e atitudes cada vez mais desafiadoras a afastaram das pessoas que a amavam. Janis Joplin descobre o Rock & Roll, o álcool e a anfetamina. O que deixou muitas marcas doloridas no passado e no presente enquanto viveu.

Ela possuía uma voz incomum, um talento claramente herdado de sua mãe e isso a ajudou se encaixar no mundo, conheceu pessoas, formou uma nova família a da música e os carregou vida a fora. Na época de Janis as mulheres não produziam sua própria música foi quando contou com a colaboração de Paul Rothchild, controlador por natureza mais que proporcionou muito conhecimento e aprendizado a Janis. O trabalho de Joplin inspirou grandes nomes da música como Amy Winehouse, Lady Gaga, Alicia Keys, Lucinda Williams a Pink, Grace Potter entre outras.

"Quando uma alma é capaz de olhar para o mundo, ver e sentir a dor e a solidão e consegue penetrar fundo em seu interior e encontrar uma voz para cantar sobre isso, uma alma é capaz de curar ."

Aos 18 anos Janis foi morar em Los Angeles primeiramente com alguns familiares e depois sozinha, sua trajetória na música tinha de fato começado, ela se apaixonou, se iludiu, foi enganada como praticamente todas as mulheres do mundo, mais seguiu em frente, mudou os rumos, lutou foi forte destemida como uma verdadeira Texana, sua jornada pelos palcos a levaram a dependência química, álcool, drogas e culpa. Janis tinha vontade de mudar, sabia de seu potencial, adorava a fama que conquistou, gostava de ser o centro das atenções, relatou tudo isso aos pais através de sua cartas costumeiras. Era sonhadora queria chegar no famoso lá e quando estava no topo não teve chance perceber afinal.


"Os cães são melhores que as pessoas".

Janis Joplin amava seus animais de estimação, quase sucumbiu quando o primeiro cão sumiu de seu carro, adotou outros animais gatos e cachorros mostrando a pureza em sua alma, ela tinha uma sensibilidade diferente para mundo, talvez segundo as palavras de seu último amor não conseguisse lidar com tudo nele, por isso decidia se desligar usando as drogas. A música foi a única que nunca a decepcionou, era através delas que Janis mostrava seu verdadeiro eu.

Aos 27 anos de idade depois de um trabalho árduo em seu último álbum intitulado Pearl ( que se tornou o mais bem sucedido de sua carreira) Janis Joplin foi encontrada morta em seu quarto de hotel devido a uma overdose acidental em 1970. Deixando um legado de boa música, luta, inspiração e se tornando a mulher mais influente do Rock.

A leitura dessa biografia foi extremamente gratificante, além de curiosa repleta de informações interessantes o leitor tem a chance de conhecer um pouco da história e do universo do rock, saber como os mecanismos de trabalho dos artistas funcionavam naquela época foi muito bacana. A obra ainda nos da acesso a informações bem relevantes de como as coisas funcionavam na época de Joplin, onde mulheres não poderiam alcançar os mesmos patamares estipulados pelos homens sem serem vistas de maneira sombria e irregular.


A escrita da autora sobre a vida de Janis instiga o leitor a querer saber mais, no começo da leitura fiquei com receio porque achei que não fosse deslanchar mais as informações presentes no livro nos envolve e nos faz querer saber mais a respeito da história. Holly trabalhou sua escrita de forma harmoniosa, quando começou a contar sobre a família de Janis me ganhou por completo, saber a origem de tudo foi satisfatório. Durante os primeiros capítulos do livro somos introduzidos a vida dos pais de Janis Joplin, de onde vieram, como se conheceram, também é possível conhecer a origem da cidade onde viveram durante toda a criação da protagonista.

Conhecemos algumas peculiaridades sobre a formação de Port. Arthur e gostei muito de saber sobre a questões de trabalho de Seth, sobre a Texaco e a quantidade absurda de petróleo presente ali, gostaria de ler um livro somente a respeito disso um dia. Conhecer a vida de Janis desde de seu nascimento até o momento em que ela começa conquistar o tão sonhado sucesso foi uma oportunidade maravilhosa, os detalhes presentes na narrativa da autora nos transportam para o passado e nos faz querer ter vivido naquela época para ver pessoalmente Janis cantando.

Foi triste saber a maneira como ela morreu, uma pena não ter vivido mais que seus 27 anos, porém foram anos de crescimento pessoal, artístico e ela viveu como quis, foi feliz apesar de todos os obstáculos e dificuldades teve momentos felizes pelo que percebemos através do leque maravilhoso de fotos disponíveis nesta biografia. A leitura me fez sentir totalmente inspirada, a lutar, a correr atrás daquilo que acredito, e não temer os desdobramentos da vida que mesmo sendo complicados e intensos são nossa verdadeira escola.


Espero que tenham gostado da resenha e que tenha conseguido passar um pouco da história de Janis Joplin, recomendo muito a leitura a todos que apreciam biografias, autobiografias, memórias enfim. E também a todas as mulheres que apreciam rock e gostariam de ser inspiradas a seguir sempre em frente e a nunca se trair.

Título original: Janis-Her Life and Music| Páginas: 398| Gênero: Biografia |Editora: Seoman| Minhas Avaliação: 5/5|Comprar: Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados, comprando por eles vocês contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! :)

Comentários

  1. Oi Michelle.

    Essa biografia deve ser sensacional. Eu já estava curiosa por ela quando soube do lançamento e lendo algumas informações através da sua resenha, minha curiosidade aumentou. Com certeza vou tentar adquiri-la o mais rápido possível para saciar minha curiosidade. Pelas suas fotos a edição está caprichada com fotos incríveis dela. Parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Oi, tudo bem?
    JESUS AMADO QUE FOTOS LINDAS! Conheci seu blog agorinha e já adorei. Não sou muito fã de livros no estilo biografia e apesar de início a sinopse não ter me interessado, a minha curiosidade acabou sendo despertada quando você falou sobre a escrita, o que para mim é bom quando a leitura é rápida e fluída. Legal que pesquisei aqui algumas músicas dela e depois irei escuta-las e realmente, é uma pena ela ter morrido tão nova por causa das drogas.

    Até mais,
    www.estudou.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Michelle, sua linda, tudo bem?
    Vou concordar com o Luan, as fotos dessa postagem ficaram lindas, o post está super caprichado, parabéns. Eu não tenho o costume de ler biografias, gosto de livros de ficção. Mas vi o quanto você gostou pela resenha e vou anotar aqui para indicar. É triste ver as histórias que acontecem no mundo do rock. Quase sempre envolvem drogas e bebidas. É um ambiente cheio de pressões que acaba afetando e mudando a vida dos artistas, uma pena não é?
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top