Motivação Literária

Resenhas Literárias, Dicas De leitura, Dicas de filmes e séries, Rotina de estudos, Experiências pessoais.

[Resenha] O Martelo Das Feiticeiras Heinrich Kramer e James Sprenger @rosadostempos

Minha última leitura foi tão importante e repleta de ensinamentos dos mais diversos possíveis "O martelo das feiticeiras" é um livro rico em história, pesquisa, estudo, ensinamentos, e curiosidades que irá nos colocar para refletir durante toda a sua narrativa, espero que gostem da resenha!


Sinopse: O martelo das feiticeiras, ou Malleus maleficarum, foi o mais célebre manual redigido durante o período de ""caça às bruxas"" da Idade Média. A inflamada epidemia que perseguiu e condenou mulheres, fosse por seus conhecimentos ou comportamentos que fugissem aos padrões morais e religiosos da época, fosse por pura vingança e misoginia, é uma mancha na história da humanidade. Escrito no século XV, o livro beneficiou-se da invenção da imprensa para sua difusão, tendo diversas reedições pelo continente europeu e, apesar de inúmeras polêmicas e dúvidas quanto à validade de seus ensinamentos, chegou aos séculos XVI e XVII com prestígio entre os perseguidores de hereges. Amplamente utilizado pelos tribunais seculares, o manual pode ser responsabilizado pelas mais de 100 mil execuções, em sua maioria de mulheres, realizadas pela Inquisição durante pelo menos quatro séculos, como apontam historiadores. Como identificar bruxas? Como agem bruxas? Como julgar bruxas? Essas são as questões centrais respondidas neste tratado pelos inquisidores Herinrich Kraemer e James Sprenger, que, entre outras afirmações fantasiosas, atribuem à mulher a prática da bruxaria por meio da cópula com o demônio. As bases do pensamento neurótico das práticas misóginas, do controle dos corpos, do sexo e dos conhecimentos médicos articulados com o poder secular e religioso estão aqui demonstradas de maneira sistemática. O livro tornou-se também modelo para persecuções penais modernas, com seu julgamento inquisitório e suas penas baseadas na expiação da carne. O Malleus maleficarum é um documento de importância histórica, filosófica e jurídica. Skoob. 

"Nos grupos matricêntricos as formas de associação entre homens e mulheres não incluíam nem a transmissão do poder nem a da herança, por isso a liberdade em termos sexuais era maior. Por outro lado quase não existe guerra, pois não havia pressão populacional pela conquista de novos territórios."

"O martelo das feiticeiras" foi escrito inicialmente em 1484 pelos inquisidores Heinrich Kramer e James Sprenger, os autores dessa obra se basearam em criar um livro em formato de manual para além de tudo que já tinha lido até esse momento em minha vida, foi uma experiência de conhecimento muito profunda onde é perceptível para o leitor o estudo clínico e analítico feito a respeito de como as mulheres eram vista nos séculos passados.


"Como o trabalho é penoso, ele necessita agora de poder central que imponha controles mais rígidos e punição para a transgressão. É preciso usar a coerção e a violência para que os seres humanos sejam obrigados a trabalhar, e essa coerção é localizada no corpo, na repressão da sexualidade e do prazer. Por isso o pecado original é colocado no ato sexual ( é assim que, desde milênios, popularmente se interpreta a transgressão dos primeiros seres humanos)".

O foco principal da leitura é na questão de mulheres consideradas bruxas e todo um processo de reconhecimento, aceitação ( que existiu por medo de perca de poder por parte dos homens), condenação entre tantas outras circunstâncias envolventes nesse assunto naquela época. Baseando em uma parte única da história da existência feminina somos introduzidos de uma maneira genial ao assunto e apresentados a ele de forma profunda e evolutiva.


Esse manual por mais assustador que possa ser, traz as características de como reconhecer um mulher bruxa e o que era feito com essas mesmas mulheres a partir desse reconhecimento, esse processo tomado por atitudes hoje consideradas absurdas, desumanas e inaceitáveis, entretanto naquela época de nossa história essas mesmas atitudes eram completamente aceitáveis pela sociedade e justiça. Nesse período a maior força era a religião e foi dela que surgiu o banimentos desses seres humanos considerados perigosos.

Dividido em três partes específicas em cada uma delas foi detalhado de forma muito intensa o processo mencionado acima, que vai da identificação a punição de mulheres consideradas bruxas, o manual foi usado por século afim de promover a degradação da mulher de forma desumana, a leitura se tornou tão intensa em determinado ponto que para o leitor é preciso uma dose de respiros longos e profundos para acompanhar tudo que contêm na história aqui contada.

Tudo presente no manual contribui de maneira muito eficaz para deterioração da mulher, sua propagação levou milhares de mulheres a fogueira, era essa a maneira de puni-las, acusadas de heresia e queimadas vivas talvez de alguma maneira pudessem se purificar. Embasados em suas leituras da bíblia os inquisidores Heinrich Kramer e James Sprenger não pouparam a mulher, aqui acredita-se que ela está ligada de maneira pecaminosa com a sexualidade e por isso torna fraca sua alma diante da do homem. É claro que esse modo de pensar e agir mesmo após séculos e séculos ainda está incrustado no homem que vê a mulher como algo que ele pode dominar, submeter, e julgar. A leitura pende intensamente ao religioso usando -o como justificativa para a cassada as bruxas, o massacre era feito em nome de Deus, não muito diferente de atitudes que ainda vemos presentes nos dias atuais.


"Malleus Maleficarum" é uma obra difícil de digerir, sua escrita incialmente feita nessa edição por Rose Marie Muraro traz consigo uma carga histórica curiosa sobre nossa criação e desenvolvimento, despertando em mim enquanto leitora a vontade de saber mais, entretanto quando enfim embarquei nas divisões da obra fiquei extremamente marcada, chocada pelo que li, portanto alerto que a obra irá causar desconforto em que a escolher como leitura em diversos aspectos possíveis, gatilhos serão ativados, e sentimentos dos mais profundos irão surgir em você durante sua experiência e jornada com o livro.


Toda via acredito ser uma leitura necessária em algum momento da vida do possível leitor, usada em vestibulares, por inúmeros acadêmicos marcou uma geração e ajudou outros tantos com estudos históricos sobre a sobrevivência da mulher, sobre o que ela passou e passa até nos dias atuais, curiosa, intensa, dura, extrema são poucos os adjetivos para a leitura em sí, a experiência de conhecer essa publicação estará presente em minha vida para sempre.

Espero que tenham gostado dessa pequena resenha sobre minha última experiência literária, confesso a vocês que não me achei capaz de seguir em frente com a obra devido a tudo que mencionei acima, mais enfim cá estamos, levarei tudo que li para a vida em diante.

Xoxo

Título original: Malleus Maleficarum| Páginas: 698| Gênero: História| Editora: Rosa Dos Tempos| Minhas Avaliação: 4/5| Comprar: Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados, comprando por eles vocês contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! :)

Comentários

  1. Oi Michelle!
    Nossa que livro diferentão, nunca que eu imaginaria que existiria um livro escrito por inquisidores, deve ser realmente um livro muito pesado e bem doido de se ler!
    Falar sobre a sobrevivencia da mulher é sempre muito necessário, e deve ter sido muito forte ter lido sobre esse periodo. Confesso que tô bem intrigada com esse livro, já coloquei na wishlist, espero que eu consiga ler! Adorei essa resenha e suas fotos ficaram incriveis!

    ResponderExcluir
  2. Oi Michelle.

    Eu imagino como deve ter sido a experiência de ler este livro. Eu fiquei bastante curiosa para lê-lo, pois já li post mencionando que é uma leitura chocante. Adorei saber mais alguns detalhes dele através da sua resenha. Com toda certeza vou tentar adquiri-lo o mais rápido possível para lê-lo. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    https://historiasexistemparaseremcontadas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi Michelle, sua linda, tudo bem?
    Pelo título do livro a princípio em pensei tratar-se de uma ficção de fantasia. Nossa, imagine escrever um manual de caça as bruxas? Nós sabemos que aconteceu, mas não deixa de ser surreal. Confesso que como sou muito sensível esse não é um momento para ler uma obra como essa, acho que ficaria arrasada. Mas vou anotar a dica, para uma outra situação, quem sabe. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Se fosse uma narrativa ao invés de algo tipo um manual, eu acho que me interessaria mais... Até gosto do conteúdo mas o formato acho que me cansaria um pouco. Porém gostei de conhecer mais sobre este livro!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Essa é uma das minhas leituras atuais e realmente é chocante o modo como as mulheres eram tratadas antigamente. Adorei DEMAIS o prefácio e o contexto histórico, que nos aprofunda demais no assunto, e apesar de incomodar, acho importante. Na realidade, nem me incomoda tanto porque querendo ou não, são fatos reais. E creio que o ser humano, principalmente masculino, é capaz de tudo. Espero tirar boas lições até o fim da leitura. Ótima resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem?
    Eu tenho muita vontade de ler esse livro. Acredito que seja uma leitura extremamente pesada e desconfortável, mas ao mesmo tempo muito importante. Acho que ele deixa claro como as mulheres foram tratadas nessa época e também deve trazer reflexões de como isso impactou na sociedade em que vivemos hoje. Afinal, não estamos mais no período da inquisição, mas quantas mulheres ainda sofrem abusos e são responsabilizadas pelo que é feito contra elas né?
    Amei sua resenha e essas fotos maravilhosas. Não estou em um bom momento para ler esse livro, mas a dica está anotada e quero ler futuramente.
    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top