new videos

[Resenha] A Morte De Ivan Ilitch - Lev Tolstói @editora34

 Conhecer o trabalho de Tolstói foi uma experiência sensacional, há bastante tempo queria dedicar - me a leituras que tivessem mais relação com minha fase atual, acadêmica, adulta focada nos estudos, devido a isso fiz algumas compras de livros clássicos e mundialmente conhecidos para tentar introduzir aos poucos na minha rotina como leitora. "A Morte de Ivan Ilitch" foi o primeiro e gostei muito do li.

Sinopse: Esta obra mostra a história de um burocrata medíocre, Ivan Ilitch, um juiz respeitado que depois de conseguir uma oferta para ser juiz em uma outra cidade, compra um apartamento lá, para ele, sua mulher, sua filha e seu filho morarem. Ao ir para o apartamento, antes de todos, para decorá-lo, ele cai e se machuca na região do rim, dando início à uma doença.

Esse foi um dos últimos trabalhos realizados por Lev Tolstói, uma escrita curta porém muito profunda repleta de reflexões de como encaramos a morte ou de como as pessoas ao nosso redor encaram a nossa morte. Algo surreal foi o que encontrei nas palavras do autor que neste livro relata do inicio ao fim a morte de Ivan.

Nossa leitura começa pelo fim, a morte de Ivan Ilitch é jogada logo nas primeiras páginas e nas próximas o autor narra através dos personagens tudo o que aconteceu com seu protagonista, damos inicio então a uma jornada pela vida de Ivan, que se tornou juiz, veio de uma família complicada, casou-se não por amor, mas sim por acreditar ser o certo, o curso da vida, o fluxo que todos nós devemos seguir para se viver bem e de maneira aceitável na sociedade.

Ivan se posicionou enquanto profissional, fez fortuna, ganhou muito dinheiro, mas antes disso passou por situações preocupantes, as brigas com a esposa eram infinitas, a maioria por problemas dos quais eles preferiam evitar falar. Quando as coisas melhoram ele realmente achou que ficariam bem, mas este não foi o caso. Logo que conseguiu um cargo melhor, salario melhor, uma casa melhor e mais adequadas, ou seja, a vida que queria ele sofreu uma queda, na decoração dessa própria casa nova.


Quando descobriu estar doente associou sua situação de saúde a queda, mas até o final da leitura não soubemos se de fato existiu tal relação. A doença dele era mais crônica do que causada pela queda, parecia mais coisa de DNA do que qualquer outra. A tortuosa luta começou e o leitor o acompanha nessa amarga trajetória.

O tema usado como principal nessa leitura era apenas algo a mais presente nela, o que devemos mesmo prestar atenção é no que acontece entorno da morte de Ivan, seus amigos todos falsos e frios, prontos para qualquer investida em assumir seu lugar no trabalho. Em meio a noticia de seu falecimento a conversa logo passou para futuras posições e possibilidades que a morte dele lhes trariam. Pensamentos egoístas e mesquinhos!

Ivan estava sendo velado ainda quando sua esposa se reúne em outro cômodo para discutir com um amigo sobre a herança, os fundos, dinheiro era tudo no que pensavam, minhas dúvidas sobre os verdadeiros sentimentos dela ficaram suspensas no ar, uma hora em seu leitor de morte ela demonstra a fragilidade da viúva que iria se tornar e em um outro momento a pessoa egocêntrica e ambiciosa vem a tona. 

Os filhos de Ivan pouco são citados o mais novo é distante do pai porque Ivan o repele, a filha já com uma namorado prestes a noivar herdou o gênio egoísta da mãe, as dúvidas em minha cabeça enquanto leitora continuam ao longo dessa história, foi difícil interpretar de fato o que a família de Ivan realmente era. Mas a probabilidade de penderem mais para uma coisa ruim era bem grande.

O autor trabalha de forma crítica em sua narrativa, a história de Ivan nos proporciona reflexões dolorosas e importantes sobre a vida, a forma como a vivemos e sobre a morte, a nossa morte, a morte de pessoas queridas enfim sobre esse tema tão menosprezado por nós, por acreditarmos não ser necessário falar de algo tão ruim.

O final dessa história deixa claro para nós as intenções do autor, fazer com que Ivan entenda seu fim, aceite-o e finalmente descanse, trazer um personagem de acalento para Ivan nos seus dias finais foi um toque incrível na escrito de Lev, trouxe significado ainda maior para leitura. Mas o que mais impressiona na leitura é a sinceridade que o autor traz a vida medíocre que Ivan criou para si, viver de aparências, viver pelos outros e não por sí, por uma sociedade hipócrita é de extrema vergonha. Faze-lo compreender isso de certa forma em seu fim é a maior lição dessa obra.

Por fim recomendo a leitura que inicialmente nos parece estranha, pela estranheza de fato presente na mesma, mas que no fim nos traz visões claras sobre a temática abordada pelo autor e pelo desenrolar das vidas de seus personagens.

Espero que tenham gostado

Xoxo

Título Original: Smiert Ivana Ilhiychá | Páginas:102|Gênero: Literatura RussaEditora 34| Minha Avaliação: 4/5| Comprar: Amazon

Ps: Os links deste post são afiliados, comprando por eles vocês contribuem com meu trabalho, pois ganho um pequena comissão e isso não interfere no valor da compra de vocês! :)

Comentários

  1. Esse livro é maravilhoso, um dos meus russos preferidos. Adoro as reflexões que o autor desvela na obra.
    Essa edição da 34 é ótima, a editora é a melhor no quesito russos. sonho em ter todos da Coleção Leste ^^
    Tschuss

    ResponderExcluir
  2. Olá,
    Livros que tem tema sobre morte e coisas assim sempre acho interessante de se ler.
    A edição parece ser muito boa!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)